Marmelada deu certo e Alonso briga pelo título

Marmelada deu certo e Alonso briga pelo título

Após quatro corridas e dois meses, Ferrari parece ter acertado na decisão em Hockenheim

O desempenho dos pilotos da Ferrari nas últimas corridas mostra que a equipe, embora tenha quebrado as regras da F-1, acertou ao mandar Felipe Massa deixar Fernando Alonso passar no GP da Alemanha, disputado no dia 25 de julho.

De lá para cá foram disputadas mais quatro corridas: Hungria, Bélgica, Itália e Cingapura. Nesse período, Alonso venceu as duas últimas, somou 68 pontos e saltou do quinto para o segundo lugar no Mundial de Pilotos.

Nem o líder do Mundial marcou mais pontos que Alonso nesse período: com uma vitória, um segundo, um terceiro e um sexto lugares, Mark Webber, da Red Bull, acumulou 66 pontos. O espanhol, no entanto, deixou para trás o outro piloto da equipe austríaca, Sebastian Vettel, e os ingleses Lewis Hamilton e Jenson Button, da McLaren.

Massa, nesse período, manteve o desempenho apenas mediano que vem tendo desde o início de 2010: pontuou nas quatro provas, com um terceiro lugar, dois quartos e oitavo, mas ficou definitivamente fora da briga pelo título, em sexto lugar, com 128 pontos.

Se a Ferrari tivesse deixado Massa vencer a prova, o brasileiro hoje estaria um pouco melhor, com 135 pontos ? mas, ainda assim, com chances apenas matemáticas de alcançar Mark Webber. Alonso, por sua vez, ainda seria o vice-líder, mas com 184 pontos, 17 a menos que Webber.

A decisão que pode dar o tricampeonato a Alonso foi punida na prova, com uma multa de R$ 180 mil (US$ 100 mil), Depois, em julgamento no Conselho Mundial da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), a decisão foi mantida, sem nenhuma punição extra à equipe.

Cartolas falam abertamente em mudar as regras para 2011, de forma a permitir novamente o jogo de equipe, proibido desde 2002, quando Michael Schumacher venceu o GP da Áustria depois de passar Rubens Barrichello nos últimos metros.

Por enquanto, deixar o companheiro passar ainda não vale, e na próxima prova, o GP do Japão, a F-1 continuará a ver as consequências da marmelada de Hockenheim.

Fonte: R7, www.r7.com