Maurren Maggi é a esperança brasileira de medalha no Mundial

Maurren e seu treinador, Nélio de Moura, optaram por limitar o número de competições da saltadora nesta temporada por causa do crônico problema no joe

É o último dia do Campeonato Mundial em Berlim e a derradeira chance de o Brasil conquistar uma medalha. A maior chance, com a única campeã olímpica da história do atletismo brasileiro. Maurren Higa Maggi disputa a final do salto em distância a partir das 11h15m (horário de Brasília), em sua primeira grande competição após a conquista da medalha de ouro nos Jogos de Pequim, no ano passado. Uma conquista que a brasileira diz tê-la feito dar um passo além na carreira, torná-la mais segura e confiante do que pode alcançar.

- Eu sinto e vejo essa diferença. Eu agora conheço muito mais os meus limites. Antes mesmo do primeiro salto das eliminatórias, eu sabia que ia conseguir. Depois de tudo o que eu passei para chegar até aqui, me cuidando para disputar essa competição, sabia que alcançaria o meu objetivo quando pisei lá dentro. Por isso eu espero que as pessoas exijam muito de mim, porque eu faço isso também - afirma.

Maurren e seu treinador, Nélio de Moura, optaram por limitar o número de competições da saltadora nesta temporada por causa do crônico problema no joelho direito. O plano deu certo, a campeã olímpica está livre das dores. Por outro lado, isso fez com que Maurren esteja fora de um certo "ritmo" de competição. Por isso Nélio pediu que ela completasse os dois saltos a que tinha direito nas eliminatórias, mesmo já tendo garantido a vaga na final na primeira tentativa.

- Ainda faltava acertar alguns detalhes. Eu tenho saltado em treinos muito mais do que as marcas das eliminatórias. Mas, tudo bem, deixa para saltar bem na final - afirma.

O Brasil nunca conquistou uma medalha de ouro em Mundiais de Atletismo e já saiu de duas edições sem uma medalha sequer, Stuttgart, em 1993, e Edmonton, em 2001. Para impedir que isso aconteça, Maurren terá, na sua própria avaliação e na opinião de Nélio de Moura, três grandes concorrentes: a russa Tatyana Lebedeva, a americana Brittney Reese e a são-tomense naturalizada portuguesa Naide Gomes. A campeã olímpica será a primeira das 12 finalistas a saltar neste domingo.

A outra brasileira na prova, Keila Costa, é a terceira a saltar. Em seu segundo Mundial, Keila busca superar a sétima colocação de Osaka, em 2007. Maurren Maggi tem como melhor participação em Mundiais o sexto lugar também em Osaka. Em Mundiais Indoor (pista coberta), Maurren já conquistou uma medalha de prata (2008, em Valência) e uma de bronze (2003, em Birmingham).

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com