Maurren Maggi garante vaga na final do salto em distância em Berlim

Campeã olímpica se classifica em quinto lugar. Keila também avança

 Acostumada a superar grandes desafios, Maurren Maggi deu mais um importante passo nesta sexta-feira rumo a outra difícil conquista. A brasileira campeã olímpica, principal esperança de medalha para o país no Mundial de Berlim, enfrentou a chuva e se classificou para a final do salto em distância com o quinto (6,68m) melhor salto das eliminatórias.

Com a sétima melhor marca (6,66m), Keila Costa também estará na disputa por medalhas neste domingo, no Estádio Olímpico de Berlim. Desde os Jogos Olímpicos de Pequim, quando tornou-se a primeira brasileira campeã olímpica, Maurren Maggi não vive uma boa fase. Uma lesão no joelho direito tem impedido que a brasileira se aproxime da sua melhor marca (7,26m).

Mas, embora seu melhor salto na temporada seja de 6,90m, a paulista de 33 anos veio ao Mundial de Berlim disposta a lutar pela inédita medalha de ouro para o Brasil em mundiais. Nas eliminatórias desta sexta, Maurren pediu as palmas da torcida, fez o sinal da cruz e saltou o suficiente para garantir sua classificação na final. Com um estabilizador de patela para proteger o joelho direito, ela fez 6,68m logo em sua primeira tentativa. Embora tenha feito a quinta melhor marca, a brasileira não atingiu o índice exigido para a qualificação direta para a próxima fase (6,75m).

Mas, como apenas as três primeiras saltaram acima desta marca, se classificaram para a final as 12 melhores das eliminatórias. - Eu esperava saltar até um pouco mais. Talvez o tempo não tenha ajudado muito. Tinha muito vento contra e uma goteira incrível. Mas ainda tenho muita coisa para melhorar. Final é final - disse Maurren, um pouco antes de deixar as pistas. O Brasil também terá Keila Costa na briga por medalhas. Assim como Maurren, a pernambucana garantiu a classificação em sua primeira tentativa com a marca de 6,66m, próxima do seu melhor salto na temporada (6,79m).

A melhor das eliminatórias foi a portuguesa Naide Gomes, que atingiu 6,86m em sua segunda tentativa. A segunda melhor marca das eliminatórias foi da americana Brittney Reese com 6,78m. A russa vice-campeã olímpica Tatyana Lebedeva também se destacou ao garantir vaga na final logo em seu primeiro salto (6,76m).

Fonte: g1, www.g1.com.br