Médico diz que Kaká pôs carreira em risco

Ele começou a jogar com um incômodo e acabou com uma dor insuportável

Kaká operou o joelho esquerdo na Bélgica e, depois da cirurgia, o médico responsável pelo procedimento, Marc Martens, conversou com alguns jornalistas. As revelações feitas por Martens são alarmantes. Segundo ele, Kaká jogou os últimos jogos da Copa do Mundo no sacrifício (teria se machucado contra a Costa do Marfim) e chegou a pôr em risco a carreira.

- Ele começou a jogar com um incômodo e acabou com uma dor insuportável. Entendo que trata-se de uma competição única, que havia pressão, mas ele forçou demais contra Holanda e Chile. Ele reconheceu a mim que sentia muita dor - explicou o médico, em declarações publicadas pelo diário "Marca".

Martens, que é muito conceituado no meio esportivo, não fez a menor cerimônia ao comentar a gravidade do caso.

- Só de ver pude comprovar que era grave. Poderia ter acabado com a carreira dele. Poderia ter se arrebentado, mas graças a Deus foi operado no momento certo e tudo correu uma maravilha - acrescentou Martens.

Um dia depois de passar por uma cirurgia no joelho esquerdo, Kaká já consegue andar, mas por orientação da equipe médica ele deve usar muletas durante uma semana.

Desde cedo, alguns fãs e dezenas de jornalistas de vários países fazem plantão na porta do hospital em que o craque está internado, na Bélgica, mas o jogador do Real Madrid só vai receber alta no fim da tarde, horário local. Do hospital, em Antuérpia, ele seguirá de taxi até o aeroporto de Bruxelas, onde vai embarcar num avião particular para a Espanha.

Segundo a assistente do Dr. Marc Martens, responsável pela cirurgia, Kaká fará o trabalho de recuperação em Madri, pelo menos no início, para que os médicos possam acompanhar de perto o progresso do jogador. Kristel Reycke confirmou que o brasileiro só deverá voltar a jogar daqui a três ou quatro meses, mas garantiu que ele está feliz.



Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com