Médico mexicano pede cautela sobre possibilidades de Cabañas ir à Copa

Médico mexicano pede cautela sobre possibilidades de Cabañas ir à Copa

Aldo Martínez ressalta que estado de saúde do jogador ainda é grave

Apesar do desejo de Salvador Cabañas revelado nesta terça-feira ao seu pai, Dionisio, de disputar a Copa do Mundo, as chances são muito pequenas. O médico Aldo Martínez, do América do México, time do atacante paraguaio, diz torcer muito para que isso seja possível, mas pediu cautela.

- Ele não saiu do perigo, temos de ser cautelosos. Estamos felizes, mas não podemos saber o que poderá ocorrer nas próximas horas. O doutor Ernesto (Martínez Duhart, médico que trata do jogador no hospital em que está internado na Cidade do México) está cansado de repetir isso, porque como médicos sabemos que a qualquer momento se pode apresentar uma complicação - disse o médico do América, segundo o site do jornal mexicano "La Jornada".

Perguntado se o mais certo não seria Cabañas ficar fora da Copa da África do Sul, por ser perigoso para a sua saúde jogar em tão pouco tempo após ser baleado na cabeça, ele respondeu:

- Não podemos dizê-lo cientificamente. Eu, Aldo Martínez, o meu desejo ardente é que ele possa jogar o Mundial, esse é o meu desejo. A lógica é o que está dizendo, evidentemente, essa é a lógica médica, mas Deus nos demonstra dia a dia que não sabemos tudo.

O médico do clube mexicano acrescentou que seu colega, Ernesto Martínez, sabe que é impossível dar um prognóstico agora sobre a carreira ou mesmo sobre se Cabañas poderá disputar a Copa.

- A evolução tem sido surpreendente, maravilhosa. Vi a primeira tomografia, vi a segunda e fiquei maravilhado com o trabalho do doutor Ernesto, e também do doutor Celso Fretes, neurocirurgião reconhecido no Paraguai (que disse nesta terça ser possível o jogador se recuperar a tempo de jogar a Copa).

Aldo Martínez também comentou que Cabañas ja provou sua força e que nada pode ser descartado em relação a ele, pois se salvou de uma situação que geralmente é mortal:

- O doutor Martínez Duhart deixou claro que oitenta por cento das pessoas que recebem uma ferida como a de Cabañas falecem. O fato de Salvador estar vivo, por si só é uma conjunção de coisas, o maravilhoso trabalho dos médicos, a atenção que recebe e o milagre de Deus que sempre está presente.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com