Mengo: Efeito Ronaldinho não sensibiliza Luxemburgo

Treinador sugere que Flamengo passe a mandar seus jogos em Macaé

Todos os 37.042 ingressos colocados à venda para a estreia de Ronaldinho Gaúcho foram vendidos. Com isso, o Engenhão ficou lotado para o triunfo do Flamengo por 1 a 0 diante do Nova Iguaçu, fato raro de se ver na curta história do palco. Porém, na visão do técnico Vanderlei Luxemburgo, nem mesmo o craque com a camisa rubro-negra será capaz de mudar a rotina do estádio.

Crítico ferrenho do Engenhão, Luxemburgo voltou a dizer que o local não é simpático ao Flamengo, que jamais se sentirá "em casa".

- Com sinceridade, aqui nao é nosso estádio. É distante, o torcedor tem dificuldade em chegar. Não acho que conseguiremos enchê-lo nos próximos jogos. Aqui a gente vem sempre como visitante, mesmo quando o mando é nosso.

Assim como o Fluminense, o Flamengo adotou o estádio para mandar suas partidas desde o fechamento do Maracanã em setembro do ano passado. Contudo, mesmo assim, o público invariavelmente é pequeno no palco, que é administrado pelo Botafogo.

De acordo com Vanderlei Luxemburgo, o governo do Rio de Janeiro deveria ter sido mais atuante e preparado o Estado para o fechamento do Maracanã, que só será reaberto para os clubes em janeiro de 2013.

- O governo deveria ter buscado alternativa. Flamengo e Fluminense perderam quanto em receita sem o Maracanã? Vamos ver se de repente ampliamos o estádio em Macaé. Ali poderia ter 30 mil lugares. Gostei de lá. Seria uma alternativa para o meio do ano. Vamos ver se fazem algo, mas sei que não vão fazer.

Assim como o tricolor Muricy Ramalho, o técnico rubro-negro também reclamou do gramado do Engenhão, principal alvo de reclamações em 2010 dos clubes. Após vários jogos no estádio, o campo já apresenta sinais de desgaste, segundo Luxemburgo.

- O campo já está com a grama rala. É muito jogo. Só temos ele para jogar. Perdemos o Maracanã e não nos preparamos para isso. Agora vamos pagar por isso.

Fonte: R7, www.r7.com