Mesmo após bater cabeça, Jaqueline pode está na Copa do Mundo

A ponteira teve uma concussão cerebral e uma lesão cervical, no sábado.

O técnico da seleção brasileira de vôlei feminino, José Roberto Guimarães, não descartou a presença da jogadora Jaqueline na Copa do Mundo do Japão, a partir de 4 de novembro, e que vale vaga para Londres-2012. "A Jaque sempre esteve nos planos. Espero que a gente ainda possa contar com ela [na Copa do Mundo]. Não é que eu descartei. Falei com ela: "se der tudo certo e você puder, está fechado, não tem problema algum". Agora, não posso dizer se está fora ou dentro", explicou treinador.


Mesmo após bater cabeça, Jaqueline pode está na Copa do Mundo

A ponteira teve uma concussão cerebral e uma lesão cervical, no sábado, após bater a cabeça com a líbero Fabi no segundo set do jogo contra a República Dominicana.

Jaqueline foi liberada do hospital em Guadalajara e esteve com as jogadoras da seleção antes da vitória por 3 sets a 0 sobre o Canadá, no domingo.

"Ela está muito positiva em relação à recuperação. Já queria tirar o colar [cervical], vir treinar, ir pro Japão, na cabeça dela não tem absolutamente nada e isso é positivo. As meninas que estavam lá no quarto ouviram isso. Legal ouvir essa esperança que ela tem", comentou Zé Roberto.

A previsão dos médicos, logo após a saída da jogadora do hospital, foi de oito semanas de recuperação. Jaqueline deve falar a respeito da contusão nesta terça-feira.

"Eu sempre fico na expectativa de que tudo vai dar certo. Depende dos exames, da nova ressonância, depende dela, vamos aguardar", disse o treinador.

O tom de alívio Zé Roberto, no entanto, é o oposto ao da noite anterior, quando ainda não havia notícia sobre o estado clínico da atleta brasileira.

"Nós saímos daqui muito preocupados. A gente não tinha ideia do que podia acontecer. Soubemos que ela estava comendo e falando, e foi aquele alívio. Quando vi a Jaque hoje no hotel foi alívio, claro, reclamando do colar, lógico que ela tinha que reclamar de alguma coisa. Soubemos quando estávamos jantando, por volta de 1h30. Estava todo mundo de cabeça a mil, ninguém falava no ônibus, todo mundo extremamente preocupado".

Nesta segunda-feira o Brasil enfrenta Cuba, às 20h, pelo Pan de Guadalajara.

Fonte: Folha.com