Mulher diz que foi estuprada por 4 jogadores do Vitória; amiga nega

Ela alega ter sido obrigada a manter relações sexuais com os atletas em um dos apartamentos do Hotel Bourbon

A Polícia Civil do Paraná investiga uma denúncia de que uma mulher foi supostamente estuprada por quatro jogadores do Vitória na madrugada desta segunda-feira (30). Ela alega ter sido obrigada a manter relações sexuais com os atletas em um dos apartamentos do Hotel Bourbon, de Curitiba, onde a equipe estava hospedada. Em depoimento à Polícia Civil, uma amiga da vítima afirmou que não houve crime.

O Vitória enfrentou o Atlético-PR em Curitiba pelo Campeonato Brasileiro no domingo, vencendo a partida por 5 a 3. O clube tem voo de volta para a Bahia marcado para a tarde desta segunda-feira, segundo a assessoria de imprensa.

Em entrevista coletiva, a delegada titular da Delegacia da Mulher, Marcia Rejane Vieira, afirmou que a suposta vítima, de 44 anos, diz ter sido violentada, mas não foi precisa quanto ao caso.

- Ela não precisa quais os atos sexuais a que ela foi submetida - disse a delegada.

Entre as dúvidas quanto ao relato está o fato de a mulher não saber dizer se três ou quatro pessoas participaram do ato. Ela voltará à polícia para dar continuidade ao depoimento, pois, segundo a delegada, a mulher estava cansada.

- Ela está bastante confusa, o que é compreensível, já que este fato ocorreu agora pela madrugada, pelo fato de não ter dormido, pelo fato de ter estado em uma balada. Tudo isso gera uma confusão, uma exaustão - completou a titular da Delegacia da Mulher.

A vítima fez exames em um hospital para verificar se houve violência sexual, e somente após o resultado - que deve sair entre 10 e 15 dias - a delegada deve decidir se chamará representantes do Vitória para depoimento. Marcia ainda lembra que as oitivas, caso sejam necessárias, não precisam ocorrer em Curitiba.

- Primeiro a gente precisa de um conjunto de provas para este fato. Até porque não saberíamos exatamente o que perguntar a eles. A gente não começa um interrogatório dizendo: você a estuprou. Isso não existe. A gente tem que ter fatos, não uma informação solta. Com isso, nós estamos primeiro formando este conjunto probatório para, na continuidade, daí sim, fazermos a oitiva deles.

Ainda segundo a versão da mulher, ela foi até o hotel com uma amiga, que conhecia um jogador do Vitória.

- O que ela diz é que da balada vieram para este quarto cinco pessoas: ela, a amiga e mais três pessoas. Num certo momento, dessas três pessoas, duas (a amiga e um jogador) deixaram o quarto. Foram para outro lugar, e ela teria ficado com esses dois rapazes. Ai vem as divergências porque ela diz que ficou sozinha no quarto e que de repente as pessoas entraram no quarto. Outra hora diz que as pessoas estavam no quarto. Então, a princípio, ela diz que foram três, ou quatro, ou dois - relatou a delegada.

Segundo a Marcia Rejane, duas pessoas já foram identificadas. Além disso, existe a suspeita de que uma terceira pessoa não faça parte da delegação do Vitória. O GLOBOESPORTE.COM procurou o Esporte Clube Vitória, que por meio de assessoria de imprensa informou apenas que ninguém do clube foi procurado oficialmente pela polícia para prestar esclarecimentos. O diretor de futebol do Vitória, Raimundo Queiroz, evitou a imprensa no saguão do hotel, afirmando que se pronunciaria sobre o caso apenas ?mais tarde?.

O Hotel Bourbon divulgou uma nota sobre o caso, confira na íntegra:

A Rede Bourbon Hotéis & Resorts esclarece que todo o processo de check-in e check-out das hóspedes foi feito de acordo com o procedimento padrão da hotelaria.

Durante a estadia ? registrada na madrugada do dia 30 de setembro de 2013, entre 02h e 05h30 ? não houve nenhuma queixa ou registro de reclamações.

A Rede Bourbon preza pela privacidade dos hóspedes e não tem acesso às informações particulares de cada apartamento.

Fonte: G1