Muricy não consegue explicar noite infeliz do São Paulo: "O time parou"

Muricy não consegue explicar noite infeliz do São Paulo: "O time parou"

Treinador diz que time fez ótimo primeiro tempo, mas não conseguiu manter o padrão de jogo

Sem ter o como explicar. Foi assim que o técnico do São Paulo, Muricy Ramalho, analisou a goleada sofrida para o Fluminense, por 5 a 2, nesta quarta-feira, no Maracanã, primeira derrota da equipe neste Campeonato Brasileiro.

Depois de um primeiro tempo muito bom, quando saiu vencendo por 2 a 1, o Tricolor foi totalmente envolvido na etapa complementar e saiu do campo com uma justa derrota na bagagem.

- É difícil explicar. O jogo realmente estava todo a nosso favor, dominamos, marcando saída de bola. Tem coisas no futebol que não tem condições de explicar. Voltamos com o mesmo pensamento de não deixar jogar. Infelizmente, mudou tudo. O Fluminense mereceu a vitória no segundo tempo e a gente no primeiro. Nosso time parou - afirmou o treinador, com a fisionomia bastante abatida.

O São Paulo terá pouco tempo para se recuperar do baque sofrido no Maracanã, já que voltará a campo no sábado para enfrentar o Grêmio, no Morumbi, a partir das 21h, pela sétima rodada do campeonato nacional.

Veja os principais trechos da coletiva do treinador:

Erros da defesa

- Difícil estar falando no sistema defensivo. A defesa começa na frente. Não pode falar só dos zagueiros, nem colocar a culpa só num sistema. A culpa é do time todo.

Walter

- Ele foi marcado como no primeiro tempo. No segundo tempo, sentiu que estava sendo bem marcado e procurou os lados do campo. Foi mérito do jogador.

Melhora do adversário no segundo tempo

- Deixamos o Fluminense jogar demais. Estávamos marcando na frente. O Luis Fabiano, com o cartão amarelo, ficou com receio de marcar adiantado e ser expulso. Quando deixa jogar, eles desequilibram. Não podemos tirar o mérito dos jogadores do Fluminense, mas nós não entramos em campo (depois do intervalo).

Atuação de Ganso

- Ele armou bem o time, chegou até a área. Culpa não é dele. Foi o time todo. Não vamos ficar achando quem não foi bem.

Vaias da torcida do Flu

- Normal. No Brasil, técnico pode ser mandado embora, mas quando ele quer ir, não pode. Deixei uma seleção brasileira para ficar no Fluminense. Mas isso não me magoa em nada.

Reação no próximo jogo

- Os jogadores são profissionais. Temos outro jogo duro. Temos de levantar a cabeça. Aqui ninguém precisa motivar ninguém. É obrigação de todos nós.

Favoritos ao título

- Precisamos de um pouco de calma. Depois, na volta da Copa, vamos sentir como estarão os times. Podem sair e chegar jogadores. Aí, sim, vamos dar opinião correta.

Fonte: Globo Esporte