Na base do "erro zero", Fla vai em busca de nomes experientes

Na base do "erro zero", Fla vai em busca de nomes experientes

Reuniões constantes são realizadas para elaborar lista de reforços

Minimizar ao máximo o erro. Essa é a missão do Flamengo em sua terceira incursão no mercado na temporada. Se das 11 contratações já anunciadas no começo do ano e na preparação para o Brasileirão nenhuma ainda encheu os olhos do torcedor, a filosofia desta vez é a mesma adotada na escolha de Mano Menezes para treinador: a fase de testes acabou, e o clube busca nomes reconhecidos e que possam chegar para "escolher camisa". Conversas já estão em curso, mas o sigilo ainda toma conta das reuniões envolvendo dirigentes e o novo comandante.

Desde o último domingo, encontros têm sido sucessivos para discutir possibilidades. Mano Menezes já confessou que as limitações financeiras farão com que a lista não seja muito ampla. Sendo assim, a precaução é necessária para o tiro certeiro. Responsável pela vice-presidência de futebol, Wallim Vasconcelos admite a necessidade de elevar a média de idade do elenco, até mesmo para dar respaldo aos mais jovens.

- O Mano teve uma primeira conversa com o Pelaipe, vai conversar com o Jaime (de Almeida, auxiliar fixo), e vamos traçar as posições. Pela escassez de recursos, temos que ir nas posições mais necessitadas do elenco. Precisamos de jogadores mais experientes para mesclar com os mais jovens. Trouxemos os meninos do interior de São Paulo, temos os garotos da base, e a avaliação do Mano é a de que precisamos de mais experientes até para formarem os garotos dentro do Flamengo.

O dirigente colocou um prazo de 10 dias para apresentar novidades. O período longo para negociações, no entanto, é uma espécie de proteção para evitar cobranças e definições podem acontecer em breve.

- Não gosto de dar prazo muito curto, não. Às vezes, tem uma negociação que achamos rápida e pode demorar. Prefiro um prazo mais longo. Se for mais rápido, vocês vão elogiar - disse Wallim.

Após revelar ao repórter André Gallindo, da TV Globo, durante a vitória sobre o Criciúma, que já estava com negociações adiantadas com três nomes de peso, Paulo Pelaipe foi mais precavido em entrevista coletiva. Fazendo questão de dividir a responsabilidade das decisões com Wallim e o recém-chegado Mano, o diretor executivo disse já ter uma noção do que precisa buscar no mercado.

- Temos uma ideia, já conversamos com o Mano, tivemos reuniões, e vamos trabalhar nesse sentido. Aqui no Flamengo, nada é feito que não passe pelo vice de futebol e treinador. Assim que trabalhamos. O diretor não coloca jogador goela abaixo do treinador. Chegamos a um consenso de acordo com as carências.

Em um seminário sobre negócios no futebol, no Rio de Janeiro, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, vice de marketing, também abordou o tema. Reforçando a necessidade de ter calma nas negociações, ele garantiu que o clube não fará loucura por atletas consagrados.

- A gente não vai assumir um compromisso que não possa cumprir para dar uma satisfação rápida à torcida. Eu vejo o mesmo jogo que os torcedores. A diferença é a seguinte: "Ah, você está morando mal...você não acha melhor morar na Vieira Souto?". Eu acho! Mas tenho condições agora? O que acontece é que não adianta a gente pagar um sobrepreço por jogadores que ou a gente não acredita que vão dar liga, ou que não estejam ganhando uma remuneração compatível com os outros atletas. O que não vamos ter mais é um atleta ganhando 50 vezes mais do que outro, sendo os dois rodados.

O elenco do Flamengo se reapresentará nesta terça-feira, na parte da tarde, no Ninho do Urubu. Será o primeiro contato de Mano Menezes com os novos comandados.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com