Na estreia de Felipão, Avaí faz 4 no Palmeiras e confirma boa fase

Na estreia de Felipão, Avaí faz 4 no Palmeiras e confirma boa fase

O resultado leva os catarinenses aos 14 pontos, encostados no G-4, na quinta posição

Na estreia de Felipão em seu retorno ao Palmeiras, o clube alviverde foi derrotado por 4 a 2 pelo Avaí, no Estádio da Ressacada, mesmo com um jogador a mais durante quase todo o segundo tempo. De positivo da partida, a equipe paulista leva o fato de ter encerrado o jejum de penalidades desperdiçadas, com gol de Kléber.

O resultado leva os catarinenses aos 14 pontos, encostados no G-4, na quinta posição. O Palmeiras estaciona nos 12 pontos e é o nono.

Na próxima rodada, o Avaí enfrenta o Flamengo, fora de casa, às 21h, na quarta-feira. No dia seguinte, também às 21h, o Palmeiras é mandante contra o Botafogo.

O jogo

Adversários na final do Campeonato Brasileiro de 1997, Felipão e Antônio Lopes se cumprimentaram no gramado antes do início do jogo, que era acompanhado de camarote pelo ex-tenista Guga, torcedor mais famoso do Avaí. Apesar dos atrativos, a partida, que colocou frente a frente dois clubes que voltaram com vitória do período de paralisação do Campeonato Brasileiro, não lotou o Estádio da Ressacada.

Com 5min de jogo os dois times ainda não haviam dado chutes a gol, mas o árbitro já tinha distribuído dois cartões. O primeiro foi para Pierre, que puxou Roberto no meio do campo e foi advertido com um amarelo. Em uma cena inusitada, o juiz Leonardo Gaciba não encontrava o cartão nos bolsos e precisou que os jogadores do Avaí o ajudassem a encontrá-lo no chão. Na sequência, Pará acertou um carrinho violento em Kléber e também foi punido.

Mesmo jogando fora de casa, o Palmeiras buscava mais o ataque e foi premiado com um gol logo aos 12min. Marcos Assunção cobrou falta defendida parcialmente por Renan. No rebote, Gabriel Silva apareceu desmarcado na área e completou para as redes.

O Avaí não conseguia se organizar em campo e o time alviverde criou mais oportunidades para ampliar. Aos 15min, Lincoln pegou sobra da zaga e arriscou chute. A bola desviou em Gabriel e foi pela linha de fundo, próxima da trave.

Aos poucos, porém, os mandantes passaram a equilibrar as ações e fizeram por merecer o gol de empate, que veio aos 23min. Caio fez boa jogada individual e abriu espaço para finalizar forte no canto direito do gol de Deola.

Com 37min de jogo, Lincoln foi lançado na frente e tocou para Kléber, livre de macação chutar no gol. Patric, bem colocado, salvou o Avaí embaixo da trave. Três minutos depois, em um momento bastante equilibrado, o time catarinense virou a partida: Caio tocou para Roberto, que deu um belo passe para Robinho, tranquilo, finalizar com categoria.

A primeira etapa teve ainda a expulsão de Pará, que recebeu o segundo amarelo por falta imprudente em Márcio Araújo. Mesmo com um a menos em campo, o técnico Antônio Lopes não promoveu substituições no intervalo. No Palmeiras, Felipão procurou explorar a vantagem numérica e Tadeu entrou no lugar de Márcio Araújo.

Com uma atitude ofensiva em campo, o Palmeiras igualou novamente ao placar logo aos 12min da etapa complementar. Derrubado dentro da área, Kléber cobrou pênalti no meio do gol e encerrou o incômodo jejum de penalidades desperdiçadas pelo clube alviverde.

Aos 18min, o Avaí chegou bem. Patric pegou a sobra e arriscou o chute para defesa parcial de Deola. Na sequência do lance, a zaga palmeirense afastou o perigo. A boa chance empolgou os torcedores locais e a festa com sinalizadores forçou a paralisação do jogo por cerca de quatro minutos.

No recomeço da partida, Felipão trocou Tinga por Pierre. Minutos depois, o treinador alviverde avançou ainda mais o time e substituiu Lincoln pelo jovem Vinícius. Mas a equipe paulista não correspondeu ao desejo do treinador e não chegava com qualidade no ataque. Foi o Avaí que voltou a criar uma boa oportunidade, com chute de Roberto que acertou o travessão de Deola aos 33min.

Já aos 45min, Roberto fez jogada individual, foi derrubado por Leo na área o árbitro marcou o pênalti, além de expulsar o palmeirense. Deola defendeu a cobrança de Caio, mas o atacante marcou no rebote e colocou os catarinenses novamente em vantagem.

Com número igual de jogadores, o Avaí ainda fez mais um, nos sete minutos de acréscimos acrescentados pelo árbitro. Aos 48min, Roberto foi lançado no ataque, se livrou de Deola e chutou para o gol vazio.

Fonte: Terra, www.terra.com.br