Na estreia sem Messi, Fábregas brilha, Neymar dá assistência, e Barça goleia

Na estreia sem Messi, Fábregas brilha, Neymar dá assistência, e Barça goleia

O resultado leva o Barcelona a 40 pontos em 14 rodadas da Liga Espanhola

Era o primeiro jogo do resto de 2013 para o Barcelona. Sem Messi e Valdés, que só retornam no começo de janeiro, o clube catalão nem precisou brilhar muito para conquistar uma vitória traquila sobre o Granada. Um 4 a 0 sem sustos, com dois gols de pênalti - de Iniesta e Fábregas -, um gol de Pedro, e uma assistência de Neymar para Alexis Sanchez.

O resultado leva o Barcelona a 40 pontos em 14 rodadas da Liga Espanhola - são 13 vitórias e apenas um empate. Com isso, o time garante que terminará a rodada com três pontos de frente para os rivais, qualquer que seja o resultado do Atlético de Madri.

Para Neymar, a partida foi abaixo da média. Jogando primeiro como peça central do ataque e depois na ponta esquerda, ele não criou chances como em outros jogos, mas conseguiu dar o passe para o terceiro gol - uma assistência que serviu para mantê-lo no topo do ranking do Espanhol, com oito, ao lado de Fábregas, destaque da partida ao lado de Iniesta.

Aos 38 da segunda etapa, o brasileiro deu lugar ao jovem Adama Traoré, que fazia sua estreia na equipe principal.

O jogo - Sem "o melhor jogador do mundo e o melhor goleiro do mundo", como disse o treinador Tata Martino na véspera da patida, o Barcelona entrou em campo com uma formação que nunca havia atuado junta.

No gol, Pinto substituiu Victor Valdés, e a defesa alinhou com Montoya, Piqué, Bartra e Adriano - Daniel Alves e Jordi Alba estão machucados, e Mascherano foi poupado. O meio-campo teve Busquets, Iniesta e Fábregas, no lugar de Xavi. O ataque, sem Messi, formou com Pedro e Alexis pelas pontas, e Neymar no centro.

O banco de reservas também tinha novidades o camaronês Jean-Marie Dongou e o espanhol de origem malinesa Adama Traoré, ambos das categorias de base, ficaram pela primeira vez como opções de Tata Martino.

Apesar os desfalques, o Barcelona não teve problemas para dominar o adversário nos primeiros minutos da partida. O placar poderia ter sido aberto por Alexis, logo no minuto inicial; o goleiro Roberto defendeu. Os dois se encontraram, também, aos 13 minutos, quando o arqueiro do Granada trabalhou bem, após cabeçada do chileno.

Mais centralizado, Neymar alternava-se entre uma espécie de falso nove, movimentando-se entre os zagueiros, e um quarto homem de meio-campo, buscando o jogo muitas vezes dos pés de Busquets, no começo do campo de ataque. No primeiro tempo, ele teve como melhor chance um chute de fora da área aos 11 minutos, a bola subiu demais. Aos 28, levou cartão amarelo por uma falta cometida no meio-campo.

O domínio do Barcelona era claro, mas os dois primeiros gols só saíram em cobranças de pênalti. O primeiro penal foi sofrido por Fábregas depois de um choque com Foulquier; Iniesta cobrou para marcar. No segundo, os papéis se inverteram: Iniesta caiu após ser travado por Fran Rico, e Fábregas bateu para fazer 2 a 0.

O Granada, que faz boa campanha e entrou em campo como oitavo colocado, levou perigo por duas vezes, ambas com Piti - na primeira, ele acertou o travessão, e na segunda, em cobrança de falta, Pinto fez boa defesa.

No segundo tempo, o jogo perdeu ritmo, e o atacante Pedro foi o responsável pelas maiores emoções do começo da etapa. Primeiro, ao perder um gol incrível, logo a 2 minutos; depois, aos 20, quando driblou Iturra e sofreu falta, causando o segundo amarelo para o jogador do Granada.

Mesmo com um a menos, o time vistante ainda criou ótima chance de marcar com Nyom, mas o lateral esperou demais para chutar e, quando o fez, parou em ótima defesa de Pinto, que saiu fechando o ângulo.

No lance seguinte, Neymar enfim apareceu de forma decisiva. O brasileiro puxou o contra ataque e lançou para Alexis, que tocou por cima do goleiro Roberto, fazendo

3 a 0.

Nos minutos finais, a atração ficou por conta das entradas de Sergi Roberto e Adama Traoré, duas crias das categorias de base. Sergi entrou no lugar de Alexis Sanchez e manteve o ritmo do meio-campo, com Fábregas no ataque. Adama, que substituiu Neymar, quase marcou um golaço após driblar dois marcadores.

Mas o último gol da partida foi obra de dois outros jogadores da base barcelonista, bem mais experientes: Aos 42 minutos, Fábregas avançou pela esquerda e tocou para Pedro transformar a vitória em goleada.

Novos e velhos nomes, novas e velhas opções. Sem Messi por quase dois meses, o Barcelona vai precisar cada vez mais delas.

Fonte: ESPN