Nado sicronizado: Brasil fica em 3º, e mexicanos vaiam juízes

A equipe brasileira foi a segunda a realizar sua performance, depois da Colômbia, que abriu as exibições.

O Centro Aquático Scotiabank recebeu novamente nesta quarta-feira as brasileiras do nado sincronizado. Porém, desta vez não só Lara e Nayara, mas as oito integrantes da equipe do Brasil entraram na piscina para colocar o País na terceira colocação da rotina técnica, primeira etapa da modalidade. Com 87.625 pontos, as nadadoras ficaram atrás apenas de Canadá (94.875), grandes favoritas, e Estados Unidos (89.750). O público que aplaudiu todas apresentações, não gostou da nota dada à equipe mexicana, que ficou na quarta posição.

A equipe brasileira foi a segunda a realizar sua performance, depois da Colômbia, que abriu as exibições. Canadá, Estados Unidos e México vieram na sequência. As atletas do país-sede são, inclusive, as maiores adversárias do Brasil e tiveram grande apoio do público local.

As arquibancadas do Centro Aquático tremeram quando as nadadoras mexicanas se apresentaram, principalmente no momento no qual a música mariachi ditou a coreografia das atletas. A avaliação delas, porém, foi inferior à esperada pela torcida, que vaiou a divulgação dos 86.750 pontos dados pelos juízes.

Colômbia (5ª), Argentina (6ª) e Aruba (7ª) completaram as exibições, mas nenhuma das três equipes alcançou os 80.000 pontos.

A definição das equipes medalhistas acontecerá na próxima sexta-feira, às 17h de Brasília, quando ocorrerá a segunda etapa da modalidade, a da rotina livre.


Nado sicronizado: Brasil fica em 3º, e mexicanos vaiam juízes

Fonte: Terra