""Não há como não se decepcionar"", admite Andrade após ser demitido do Flamengo

""Não há como não se decepcionar"", admite Andrade após ser demitido do Flamengo

Demitido do Flamengo com 70% de aproveitamento, Andrade está decepcionado.

Demitido do Flamengo com 70% de aproveitamento, Andrade está decepcionado. Em casa, depois de quase acertar a ida para o Goiás ? um patrocinador se dispôs a pagar metade do salário de Emerson Leão, que foi contratado ?, o técnico quebra o silêncio e se defende de insinuações de que lhe faltou pulso com as estrelas rubro-negras e afirma que sua demissão foi um ato político:

? A impressão que tenho é de que, para ficar bem no cargo, precisaria ganhar o Brasileiro, o Estadual, a Libertadores, o Mundial... Da forma que foi (demissão), não tem como não se decepcionar. Tinha 70% de aproveitamento. Foi uma demissão política. Faz parte da vida.

O currículo de maior campeão brasileiro ? seis títulos, cinco como jogador ? é o escudo contra aqueles que o desmerecem. Hoje, numa breve reavaliação, admite que houve erro de planejamento ao desejar o tetracampeonato estadual e a Copa Libertadores. E, para sustentar o discurso, compara com Corinthians, Internacional e São Paulo.

? Todos os brasileiros que estão nas oitavas da Libertadores não foram campeões. O Inter ainda está na disputa (Gaúcho), mas priorizou o tempo todo a Libertadores. Nós deveríamos ter priorizado. Mas nem por isso os técnicos foram demitidos ? afirmou.

Para aqueles que dão eco às críticas de omissão diante das indisciplinas de Adriano, Vágner Love e Bruno, por exemplo, Andrade tem a resposta na ponta da língua.

? Cito um exemplo: a briga entre o Maurício e o Obina (Palmeiras, em 2009). Quem deu entrevista depois do jogo? Quem anunciou a punição? Não foi o Muricy. Foi um dirigente, um diretor. O técnico tem que dar resultado em campo. Fiz isso. Conquistei vitórias.

Ao seu estilo, o desabafo é em tom comedido. Andrade elogia o time e diz que pode ir longe na Libertadores. E aproveita para responder à cúpula do Flamengo, desconhecidos no mundo do futebol.

? Estou na história como recordista de títulos. A história fala disso, não fala de política. Fala dos vencedores. Sou o técnico campeão brasileiro depois de 17 anos. Um dia eu volto ? disse.

Fonte: Extra, extra.globo.com