Nelson Piquet diz que rompeu com o filho ao saber de trapaça na Renault

A entidade divulgou um relatório com imagens da telemetria do carro de Nelsinho no momento da batida

Em entrevista ao jornalista Reginaldo Leme, da Globo, o ex-piloto Nelson Piquet, pai de Nelsinho, disse que rompeu relações com o filho "por dois meses" quando soube da armação no GP de Cingapura, em setembro de 2008. Nelsinho forçou um acidente e a entrada do safety car, o que beneficiou o então companheiro de equipe, Fernando Alonso, da Renault.

Piquet afirmou que só soube da trama dois dias depois, e que rompeu relações com o filho por cerca de dois meses. Foi por causa da briga com o filho que ele teria se ausentado do GP seguinte, no Japão.

Durante o tempo em que ficou sem falar com o filho, Piquet procurou o diretor de corridas da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), Charlie Whiting, e relatou a trapaça. Seu medo era o de, com a denúncia, acabar com a carreira do filho. Teria sido esse o motivo de Piquet ter mantido segredo, segundo disse ao jornal inglês "Daily Mirror".

No GP de Cingapura de 2008, Nelsinho bateu em um local onde não havia a possibilidade de se retirar o carro sem a entrada do safety car, o que favoreceu diretamente seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, que já havia parado nos boxes.

A entrada do carro de segurança naquele momento acabou permitindo a Alonso assumir a liderança da prova e conquistar uma surpreendente vitória.

Após ser demitido neste ano, Nelsinho foi à FIA e afirmou que o acidente foi arquitetado pelo chefe da equipe francesa, Flavio Briatore, e pelo engenheiro chefe da equipe, Pat Symonds, como estratégia para dar a vitória a Alonso.

A entidade divulgou um relatório com imagens da telemetria do carro de Nelsinho no momento da batida. Os gráficos de aceleração comprovavam que ele acelerou mais do que o comum naquela curva provocando o acidente de maneira proposital.

O documento tem também declarações de Nelsinho sobre como foi discutido o assunto entre a alta cúpula da equipe francesa. Briatore e Symonds foram afastados da Renault.

O Conselho Mundial da FIA se reúne amanhã, 21 de setembro, para julgar o caso na sede da entidade em Paris, na França. Alonso foi intimado a comparecer.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br