Nigéria é suspensa por 2 anos após fiasco

Niboro disse que o ministro do Esporte irá escrever à Fifa em breve para informar

O presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, suspendeu a seleção de futebol por dois anos de participações em competições internacionais após o fiasco do time na Copa do Mundo, disse seu gabinete nesta quarta-feira.

"O senhor presidente determinou que a Nigéria vai se ausentar de todas as competições de futebol internacionais pelos próximos dois anos, para permitir à Nigéria reorganizar seu futebol", disse Ima Niboro, assessor de comunicação de Goodluck Jonathan, aos repórteres.

"Esta diretiva se tornou necessária depois do desempenho ruim da Nigéria na atual Copa do Mundo da Fifa."

A seleção nigeriana foi eliminada ainda na fase de grupos após duas derrotas e um empate.

Após se reunir com o comitê organizador nigeriano para a Copa do Mundo, Jonathan também disse que as contas do organismo devem ser aditadas.

"Se alguma apropriação indevida for descoberta, todas as autoridades envolvidas serão responsabilizadas", declarou Niboro.

Niboro disse que o ministro do Esporte irá escrever à Fifa em breve para informar o organismo de sua decisão, e que o gabinete da capital federal Abuja foi instruído a construir uma "Casa do Futebol" para servir de sede para a seleção.

"O problema do futebol nigeriano é estrutural. Precisamos reorganizar as estruturas e é necessário nos retirarmos de todas as competições internacionais para colocar nossa casa em ordem", acrescentou Niboro.

Alguns torcedores das Super Águias, como a seleção é conhecida, ficaram chocados com a decisão.

"Parece-me que o presidente está tentando obter capital político de forma grosseira... a próxima grande competição internacional é só daqui a dois anos, de qualquer maneira", disse um torcedor irado que preferiu não se identificar.

A Federação de Futebol da Nigéria (NFF na sigla em inglês) disse desejar que o técnico sueco Lars Lagerback continue no comando da equipe e crie um programa abrangente para atrair jovens talentos.

Fonte: Yahoo