No embalo de seus meninos, times Vitória e Santos lutam pela Copa do Brasil

No embalo de seus meninos, times Vitória e Santos lutam pela Copa do Brasil

Confirmando tradição de serem celeiros de craques, Peixe e Leão escalam nesta quarta-feira vários garotos formados em suas categorias de base

Santos e Vitória chegam à final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, às 21h50m (horário de Brasília), no Barradão, em Salvador, embalados por seus garotos. Historicamente, as duas equipes formam jogadores de expressão. Pelo lado do Vitória, campeões mundiais como Dida, Bebeto, Vampeta entre outros. No Santos, mais campeões mundiais, só que em um passado distante: Pepe, Clodoaldo, Edu.

As duas equipes disputarão o título com vários jogadores de suas bases em campo. No Leão, os zagueiros Wallace, Anderson Martins, o volante Neto Coruja e o atacante Elkeson. No Peixe, o goleiro Rafael, o volante Wesley, o meia Paulo Henrique Ganso e os atacantes Neymar, André e Robinho. A Rede Globo e o SporTV transmitem o jogo para todo Brasil, e o GLOBOESPORTE.COM acompanha em tempo real a partir das 19h30m, com vídeos exclusivos.

Em 2004, o clube baiano foi considerado o sétimo maior celeiro de craques do mundo, de acordo com análise do jornal italiano "Gazzetta Dello Sport". Já o Peixe tem o orgulho de ter ajudado a formar o maior de todos os jogadores: Pelé, que chegou à Vila Belmiro com 15 anos.

Os garotos devem fazer um jogo tenso. O Santos venceu o primeiro jogo, quarta-feira passada, na Vila Belmiro, por 2 a 0. Agora, o Vitória precisa vencer por três gols de diferença para ficar com a taça. Se devolver os 2 a 0, a decisão vai para os pênaltis. O Peixe conquista a Copa do Brasil mesmo se perder por um gol ou até por dois, desde que marque algum, já que vale o critério por gol marcado fora de casa.

Leão já conseguiu

O Santos esbanja números impressionantes na Copa do Brasil. Disputou dez jogos, com sete vitórias e três derrotas. Marcos 38 gols (média de 3,8 por jogo) e sofreu 13. Nenhuma das três derrotas foi por diferença superior a um gol. Em nenhum desses jogos o Peixe deixou de balançar as redes.

No entanto, o Vitória já mostrou que o Barradão não é um estádio qualquer. O Leão venceu os cinco jogos que disputou em seus domínios, na Copa do Brasil deste ano, marcando 19 gols sem sofrer um sequer. Goleou Corinthians-AL (4 a 0), Náutico (5 a 0), Goiás (4 a 0) e Atlético-GO (4 a 0). Só o Vasco foi ?poupado?. Perdeu apenas por 2 a 0.

O Peixe já foi vítima da força do Barradão. A última vez que a equipe alvinegra perdeu por mais de dois gols de diferença foi justamente para o Vitória: 6 a 2, dia 12 de junho de 2009, pelo Brasileirão.

Santos com uma dúvida

Dorival Júnior só vai revelar a escalação de sua equipe momentos antes da partida. O treinador mantém em suspense a formação da equipe: ele pode manter o trio de atacantes, Robinho, André e Neymar, ou pode tirar um deles (provavelmente André) para colocar Marquinhos no meio de campo.

Na zaga, Edu Dracena, que cumpriu suspensão no jogo de ida, volta à equipe. Já o lateral-esquerdo Léo, que também não atuou na Vila Belmiro porque estava suspenso, ficará no banco. Ele apresenta uma lesão no ombro direito e será substituído por Alex Sandro. De qualquer forma, Dorival avisa que o time manterá seu "jeitão".

- A postura do Santos não vai fugir daquilo que todos estão acostumados. Vai ser uma equipe forte, competitiva e que busca o gol.

A chance de colocar a estrela no peito

Para o Vitória, a final da Copa do Brasil é muito mais do que a luta para conquistar um título inédito. Levantar essa taça significa dar fim a uma espera de 111 anos. Sem nenhum título nacional em sua galeria de troféus, o clube rubro-negro precisa dar esse passo para se consolidar. E para acabar com as provocações dos torcedores do Bahia, já que o rival tricolor tem um título brasileiro.

- Se puder suar sangue, vou suar sangue nesse jogo. Significa muito para mim, pela identificação com o Leão. Quero conquistar esse título para o clube. Os jogadores podem ser campeões depois em outros times, mas para o Vitória é uma chance única ? disse o zagueiro Wallace.

O técnico Ricardo Silva tem poucas dúvidas para a decisão. No lugar de Vanderson, suspenso pelo terceiro amarelo, entra Bida. Na lateral, o técnico ainda vai analisar as condições de Nino, que voltou a treinar recentemente. No meio, a dúvida fica entre três jogadores.

- Treinei primeiro com o Fernando, depois com Renato e, por último, coloquei o Júnior. São minhas opções. Na lateral, o Nino deve jogar. Se não puder, Gabriel será improvisado ali. O Bida, que teve boas atuações na Copa do Brasil, vai atuar no lugar de Vanderson.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com