No Pacaembu, São Paulo decide vaga nas semifinais contra La U

Sem Osvaldo, machucado, Ney muda esquema tático e adota formação mais cautelosa para decisão contra o atual campeão da Sul-Americana

No Campeonato Brasileiro, a situação do São Paulo está bem encaminhada. Restando quatro jogos para o término do torneio, o Tricolor ocupa a 4ª colocação com 59 pontos, oito a mais que Botafogo e Internacional, seus principais perseguidores. Como pode garantir sua vaga na Libertadores já no próximo fim de semana, a Copa Sul-Americana é a prioridade do momento pelos lados do Morumbi. Nesta quarta-feira, os são-paulinos irão a campo para acabar de vez com a pose da atual campeã Universidad de Chile e, assim, manter vivo o sonho de quebrar o incômodo jejum de títulos que teve início em 2009.

A vitória no confronto de ida, em Santiago, por 2 a 0, encheu todos de confiança. No entanto, uma das principais armas da equipe em 2012 não estará presente: o estádio do Morumbi, que foi cedido para o show da cantora Lady Gaga. No Cícero Pompeu de Toledo, o aproveitamento é de 81%, mas o palco da decisão será o Pacaembu, que foi a casa do Tricolor nas décadas de 40, 50 e início de 60. Para transformar o local em um alçapão, o time aposta na torcida. Até o fechamento das bilheterias, na terça-feira, mais de 25 mil ingressos dos 39.786 colocados à venda haviam sido comercializados.

A euforia da torcida, no entanto, não é compartilhada pelos jogadores. La U tem por estratégia atuar no ataque como visitante. Na fase anterior do torneio, o time de Jorge Sampaoli conquistou a vaga derrotando o Emelec no Equador após empatar em casa por 2 a 2.

O Tricolor entrará em campo com a vantagem de poder perder por um gol de diferença. Se o placar do primeiro duelo se repetir, mas a favor dos visitantes, o classificado será conhecido nos pênaltis. Para garantirem a vaga nos 90 minutos, os chilenos precisam vencer por dois gols, desde que o placar seja 3 a 1, ou maior. O jogo será apitado pelo paraguaio Enrique Caceres, que será auxiliado por Milciades Saldivar e Hugo Martinez.

Caso se classifique, o São Paulo terá de aguardar para conhecer seu oponente na semifinal. Originalmente, o rival será o vencedor do duelo entre Independiente (ARG) e Universidad Catolica (CHI). Outros dois possíveis adversários seriam Grêmio e Millonarios (COL). Para encarar o tricolor gaúcho, basta que a equipe de Vanderlei Luxemburgo despache o rival colombiano na próxima semana. Caso isso não ocorra e Tigre (ARG) e Independiente garantam suas vagas, o adversário então será o Millonarios para provocar o encontro entre os rivais rgentinos.

Escalações:

São Paulo: o técnico Ney Franco resolveu abrir mão da formação ofensiva que vinha sendo utilizada com sucesso nas últimas partidas. Com a lesão sofrida por Osvaldo, que foi vetado com dores na coxa esquerda, entrará em ação o esquema 4-4-2, com Maicon no meio-campo. Paulo Miranda segue machucado e será substituído mais uma vez por Douglas. Luis Fabiano foi avaliado pelos médicos e teve sua escalação liberada. A equipe entrará em campo com: Rogério Ceni; Douglas, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Denilson, Maicon e Jadson; Lucas e Luis Fabiano.

Universidad de Chile: precisando de uma vitória por dois gols, o técnico Jorge Sampaoli vai priorizar o jogo ofensivo na decisão desta quarta. O único desfalque será o lateral Mena, que foi expulso no duelo disputado em Santiago e terá de cumprir suspensão automática. Martinez será o seu substituto. O time terá a seguinte escalação no 3-4-3: Herrera; González, Acevedo e Rojas; Rodriguez, Aranguiz, Martínez e Cereceda; Lorenzetti, Ubilla e Gutiérrez.

Fonte: GloboEsporte.com