Nostálgico, Brasil inicia hoje nova "família Scolari"  contra Inglaterra

Nostálgico, Brasil inicia hoje nova "família Scolari" contra Inglaterra

Felipão reestreia no comando da equipe na partida desta quarta-feira, contra o English Team, em Wembley

A "família Scolari" está de volta após quase 11 anos. Nesta quarta-feira, às 17h30m (de Brasília), em Wembley, a seleção brasileira fará sua primeira partida sob o comando de Felipão. Diante da Inglaterra, a nostalgia vitoriosa da Copa de 2002 estará em campo para recolocar o Brasil na busca pelo hexacampeonato mundial. Seja no hotel onde a delegação ficou hospedada ou entre os jornalistas ingleses, as comparações da campanha vencedora na Coreia do Sul e no Japão eram sempre lembradas. Até mesmo na formação do grupo de convocados.

- Apenas o Ronaldinho é remanescente de 2002, não é? E a comissão técnica? Tem muita gente daquela época? - questionou um jornalista.

Além de Felipão, outros dez membros da delegação de 2002 estão em Londres para a estreia. Mas o time canarinho não conta apenas com os vencedores na Coreia do Sul e do Japão. Um reforço de peso foi "convocado" para a CBF para assumir o cargo de coordenador da Seleção: o tetracampeão Carlos Alberto Parreira.


Nostálgico, Brasil inicia nova

Dos atletas convocados por Felipão, o jornalista inglês estava correto: apenas Ronaldinho Gaúcho foi campeão em 2002. E o jogo desta quarta-feira vai marcar a 100ª partida do atacante com a camisa da seleção brasileira. R10 vibrou com o retorno e com a marca que será atingida nesta quarta-feira.

- Fico feliz de poder estar voltando à seleção, de comemorar esses 100 jogos. O meu primeiro jogo foi com 15 anos e justamente contra a Inglaterra. O Julio César (goleiro) também participou da minha primeira partida. Não me vejo como o papai do grupo, mas como alguém que teve a chance de jogar várias vezes pela Seleção.

Na véspera da partida, Ronaldinho Gaúcho comentou a presença de antigos parceiros de 2002 na atual delegação da equipe canarinho.

- Não deu para notar a diferença porque eu já trabalhei com todos da comissão técnica. Não é uma vantagem, mas é uma felicidade porque sei do profissionalismo, da capacidade. Fui campeão com eles. Não é perigo nenhum essa situação. É um fator positivo a mais porque todos já venceram e sabem o caminho da vitória. Jogando em casa, isso será um trunfo grande - afirmou o jogador.

"Zé Pequeno" e "Valderrama" formam defesa brasileira

No único treino que comandou em Londres, Felipão definiu o quarteto ofensivo com Ronaldinho, Oscar, Neymar e Luís Fabiano. Na defesa, "Valderrama" e "Zé Pequeno" foram os escolhidos. Aliás, David Luiz e Dante. Os apelidos foram dados pelo atacante Fred, que revelou a alcunha dos companheiros em mensagem nas redes sociais.

Felipão também já confirmou que fará as seis alterações possíveis no jogo desta quarta. A intenção é observar o desempenho do maior número possível de convocados. Tudo por conta dos amistosos de março, que definirão o grupo que vai disputar a Copa das Confederações, que será disputada a partir do dia 15 de junho.

- No momento da convocação, nós analisamos para ver quem iríamos convocar, quem colocaríamos em campo e quais substituições nós faríamos. Temos que fazer o jogo andar. Tenho seis alterações e preciso pensar nos cinco que vão seguir em campo durante todo o jogo. Vamos fazer uma montagem de equipe para os primeiros 45 e outra para os 45 minutos finais. Vamos balancear de acordo com os jogo, com a perspectiva de que um suporta um pouco mais e outros um pouco menos.


Nostálgico, Brasil inicia nova

Felipão quase foi contratado pela Federação Inglesa

Felipão aproveitou para comentar como quase foi contratado para ser o comandante da Inglaterra. Segundo o treinador, o acordo só não saiu por conta do vínculo que ele tinha com Portugal. Os ingleses queriam assinar um pré-contrato, mas o técnico preferiu esperar o término do acordo com os lusos.

- Quando eu fui convidado e sentei com algumas pessoas da Inglaterra, eu ouvi a proposta, mas eu tinha um contrato com Portugal. Eu disse que teria de cumprir o meu contrato com Portugal e depois assinaria um contrato com a Inglaterra. Não era o que eles queriam no momento. Eu não ia desrespeitar o contrato com Portugal.

O treinador brasileiro admitiu que lamentou pela não concretização do acordo.

- Em 2006, nós jogamos contra. Imagina eu tendo um pré-contrato com a Inglaterra e comandando Portugal? Dói. Claro que dói. Eu queria ter comandado a Inglaterra, mas não poderia. Tenho certeza que vou conversar com Cole, Lampard, atletas com quem eu convivi. Era o momento de não aceitar. E hoje quem sabe não seria diferente pelo envolvimento das seleções.

Além de R10, Cole também completará 100 jogos nesta quarta

A Inglaterra terá três desfalques para o jogo desta quarta-feira. O volante Carrick e os atacantes Defoe e Sturridge não estarão à disposição do técnico Roy Hodgson. Por outro lado, o goleador Wayne Rooney está confirmado na seleção inglesa.

O English Team também terá motivos para comemorar. Assim como Ronaldinho Gaúcho, o lateral-esquerdo Ashley Cole, do Chelsea, vai completar 100 jogos pela Inglaterra. O jogador também é remanescente da Copa de 2002.


Nostálgico, Brasil inicia nova

Fonte: GloboEsporte.com