Novo São Paulo estreia tentando provar que valoriza o Paulista

Novo São Paulo estreia tentando provar que valoriza o Paulista

Para buscar a motivação que faltou no ano passado, mudou a mentalidade.

Sem conquistar nenhum campeonato desde o Brasileiro de 2008, o São Paulo optou por uma mudança radical não só no elenco em 2012. Para buscar a motivação que faltou no ano passado, mudou a mentalidade a ponto de valorizar o torneio que desprezou recentemente: o Paulista.

E tenta colher os frutos da reformulação já na estreia, às 17 horas (de Brasília) deste domingo, no Morumbi, contra o Botafogo de Ribeirão Preto. Entusiasta das competições estaduais, até as colocando em nível superior à liga nacional, Emerson Leão simboliza o novo valor que o Paulistão tem no Tricolor - dirigentes chegaram a exaltar que as cotas de transmissão são bem superiores às da Libertadores.

Preocupado com o adversário, o técnico enviou seu auxiliar e sobrinho, Fernando Leão, para acompanhar de perto o Botafogo.

"Quando é em uma estreia, o adversário tem que ser rotulado como o mais difícil possível. Meu auxiliar rodou 900 km e pagou para assistir a um amistoso entre Botafogo e Barretos, mas viu um jogo-treino, com camisa sem número e um árbitro que não sabia o que fazer. Mesmo assim, deu para perceber alguma coisa. Por incrível que pareça, temos até o vídeo deste jogo", contou o treinador.

A ordem é que a mesma importância seja dada pelos atletas. Em relação ao elenco de 2011, sete jogadores já saíram (Xandão, Jean, Carlinhos Paraíba, Rivaldo, Marlos, Dagoberto e Henrique), outros devem ser liberados e seis atletas foram contratados (Edson Silva, Paulo Miranda, Juan, Fabrício, Maicon e Jadson).

Para o primeiro jogo, contudo, Leão já não terá Rogério Ceni, com estiramento no ombro direito, Fabrício, com edema no calcanhar esquerdo, e Paulo Miranda, com dores na coxa direita. A escalação terá Denis no gol e Edson Silva e Bruno Cortês estreando como titulares - Jadson, a principal e mais cara contratação da temporada, ainda precisa melhorar a forma física para estar apto a entrar em campo.

No setor ofensivo, a aposta é na evolução do entrosamento entre Lucas e Luis Fabiano. "Estou com saudades de jogar no Morumbi, vestir a camisa 7, disputar campeonatos e me divertir jogando bola. O torcedor pode esperar muito empenho de toda a equipe, muita vontade de vencer e ajudar o São Paulo, fazendo de tudo para todos ficarem contentes nas arquibancadas", falou Lucas.

Para reconquistar a confiança dos torcedores, a promessa é até de minimizar os prováveis problemas físicos de uma estréia na busca pelo título que o clube não conquista desde 2005, quando Leão era o técnico. "Pelo nosso trabalho forte na pré-temporada, temos que estar bem já na primeira rodada. Não tem essa de atingir um bom nível só na terceira, quarta rodada. É entrar bem já no início do campeonato", disse Lucas.

Do outro lado, está um Botafogo bem mais reformulado. Todos os onze jogadores que devem ser escalados pelo técnico Lori Sandri são estreantes. Entre eles, está o goleiro Márcio, de 30 anos, que foi formado no São Paulo e chegou a ser cotado como substituto de Rogério Ceni.

"A equipe é nova, mas formou um bom conjunto durante a pré-temporada. Estamos treinando juntos há cerca de um mês e já somos todos os amigos. Não há vaidade entre nós e isso é fundamental", apontou Márcio, em discurso básico que demonstra a maior preocupação do Pantera: evitar o rebaixamento e, se possível, ficar com uma das oito vagas nas quartas de final.

Fonte: R7, www.r7.com