Obras para Copa de 2014 já deveriam ter começado, alerta sindicato de engenharia

O ritmo das obras para a Copa de 2014 é preocupante, o que pode deixar o Brasil em uma posição difícil perante o mundo se houver atrasos.

O ritmo das obras para a Copa de 2014 é preocupante, o que pode deixar o Brasil em uma posição difícil perante o mundo se houver atrasos. O alerta foi feito hoje (23) pelo presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia (Sinaeco), João Alberto Viol, durante palestra no 5º Fórum Urbano Mundial, que se realiza no Rio.

?Em 2010, nós já deveríamos estar iniciando obras. A nossa pergunta é: onde estão os planos que vão possibilitar a realização da Copa do Mundo??

Para Viol, falta um planejamento adequado. ?Em Londres, levaram um ano e meio para planejar o local onde seriam instalados os equipamentos e o que era usado como depósito de rejeitos. Agora, eles estão com o cronograma em ordem?, comparou.

O presidente do Sinaeco teme que a falta de planejamento atrapalhe a resolução de problemas estruturais das cidades brasileiras que vão sediar jogos da Copa, como trânsito engarrafado, sujeira, desordem e problema de infraestrutura nos aeroportos.

?A Copa é uma oportunidade única para darmos um salto para a modernidade. Os olhos do mundo estarão voltados para nós e precisamos decidir se seremos vitrine ou vidraça?, alertou Viol. Ele citou notícia, veiculada hoje na imprensa, de que o Estádio do Engenhão, construído para os Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio, estaria apresentando problemas estruturais, o que poderia repercutir no planejamento na Copa de 2014.

?Nos preocupa toda questão desse tipo. Porque nós nos batemos sempre pelas coisas planejadas, projetadas com o devido tempo, para que elas sejam bem executadas. Tomara que isso não seja de grande repercussão, porque seria um prejuízo muito grande para o país. Mas é um alerta para que a gente não faça as coisas de forma apressada. Aquilo que houve com o Pan deve servir de lição para o que a gente não pode voltar a fazer?, disse o engenheiro.

Fonte: Agência Brasil