Abatido, Zé Roberto consola neto após derrota do vôlei feminino

O pequeno não segurou as lágrimas após a derrota.

Felipe, neto do técnico José Roberto Guimarães, foi um dos destaques do vôlei feminino durante os Jogos Olímpicos. Aos seis anos, o garotinho se tornou o torcedor número um da seleção comandada pelo avô no Maracanãzinho. E como todo fã apaixonado, ele viveu uma imensa decepção e foi às lágrimas ao fim da vitória da China por 3 a 2 sobre o Brasil, nas quartas de final da Olimpíada.

Nos pontos finais do tie-break, o menino chorou copiosamente. A imagem do sofrimento dele apareceu no telão do ginásio e na transmissão oficial, comovendo quem estava na arquibancada e quem estava assistindo em casa. O garoto, com a bandeira do Brasil colada ao rosto, era consolado pela mãe Maria Fernanda e pela tia Carolina. A avó Alcione, mulher de Zé Roberto, estava ao lado das duas.

O resultado negativo não mudou a postura do menino. Ficou ao lado da quadra para esperar seu avô chegar. Desta vez, o roteiro mudou. Foi Jaqueline que colocou o menino no colo e o deixou dentro de quadra. Quando enxergou Zé Roberto, ele saiu correndo e foi abraçá-lo. Lá, Felipe entendeu a sua primeira derrota em Olimpíada – há quatro anos, em Londres, a seleção feminina foi bcampeã olímpica e ele não estava presente na capital inglesa.

“Quando ele chegou chorando lá, lógico que aperta mais o coração. O avô tem que ficar firme. O que expliquei para ele foi que isso faz parte da vida, um dia a gente ganha, o outro a gente perde, que ele tinha que aprender isso também. Que o outro time jogou melhor e mereceu. O mais bonito era a festa que todo mundo estava fazendo. A gente só tem que agradecer de estar aqui com todo mundo, uma emoção enorme, e a gente precisa treinar mais para ganhar", explicou Zé Roberto.

Image title

A história de Felipe nos Jogos Olímpicos não foi apenas a tristeza e as lágrimas. Ele protagonizou cenas de muita alegria nas vitórias brasileiras. Foi enrolado na bandeira do Brasil que ele juntou as mãos como se estivesse rezando. Quando comentou sobre seu neto depois da vitória sobre a Rússia, Zé ressaltou que era uma alegria tê-lo ali perto em sua primeira Olimpíada.

Além de Felipe, Zé Roberto ainda foi consolado pela torcida. Ele e algumas jogadoras que transpareciam desolação, como Sheilla, Dani Lins e Fabiana, deixaram a quadra aos gritos de "bicampeão, bicampeão".

"Povo brasileiro valoriza o esforço, quando vê que o time corre e se dedica todo mundo valoriza. Isso sempre se valorizou. As pessoas aplaudem, isso é gratificante. Nós estamos vivendo um clima na Olimpíada com o povo valorizando o desempenho dos atletas mesmo na prata ou no bronze”, afirmou Zé Roberto Guimarães.

Consolo da família

Não foi apenas Zé Roberto que foi consolado pela sua família. As jogadoras também viveram situações semelhantes. Jaqueline foi ao fim do jogo abraçar sua mãe.

No corredor, antes da zona mista, Adenizia e Fe Garay também foram recebidas por seus familiares para tentar amenizar a dor da derrota.

Thaisa foi uma das primeiras a deixar a quadra direto para o vestiário, também com lágrimas nos olhos. Pouco mais tarde, seu marido foi até a parte permitida para dar um abraço na central.

Image title

Fonte: Com informações do Uol