Americana leva primeiro ouro da olimpíada na prova de tiro

Ela desbancou as campeãs olímpicas chinesas Du Li e Yi Siling

Discreta não era só ela, propriamente dita: seus resultados também eram. Ninguém dava muita bola para aquela atiradora americana de apenas 19 anos, uma pirralha em um universo de atletas mais velhos. E lá foi ela, quietinha, de arma em punho, para ser a dona do primeiro ouro dos Jogos Olímpicos do Rio. Virginia Thrasher surpreendeu na final e desbancou as campeãs olímpicas chinesas Du Li e Yi Siling para ficar com o título na carabina de ar 10m. As orientais levaram prata e bronze, respectivamente.

Assim que deu o último tiro, Thrasher se permitiu um sorriso no rosto rosado, escondido sob um boné azul. Ela sabia: era a campeã olímpica. Naquele momento, a vantagem de 0,7 pontos sobre Du Li, a grande campeã de Atenas, era irreversível. Ela levou o ouro com um ponto de frente sobre a adversária, dona de enorme história olímpica - campeã em Atenas-2004, e que decepcionou ao não conseguir manter o título em casa, em Pequim-2008, e chegou a abandonar o esporte. Yi Siling, a ganhadora da prova em Londres, ficou com o terceiro lugar.

A conquista consolida uma ascensão impressionante para uma jovem que começou a atirar há apenas quatro anos. Seu melhor resultado, até a conquista da Olimpíada, era um quarto lugar em uma Copa do Mundo - e em outra prova, a carabina três posições. Para se ter uma ideia do tamanho da surpresa, ela competira no Rio de Janeiro duas vezes este ano: não passou de um 28º lugar na carabina de ar 10m e de um décimo na carabina três posições.

- Tem sido um grande ano para mim. Um ano de muita evolução. Atingir esse nível de sucesso tão jovem é muito gratificante. Você tem que focar apenas no que é mais importante e atirar o melhor possível. E uma vez que cheguei à final, tudo poderia acontecer. E eu estou muito feliz que pude estar lá e fazer a coisa certa.

Virginia Thrasher mostra medalha de ouro
Virginia Thrasher mostra medalha de ouro

Dun Li avançara com a melhor pontuação e o recorde olímpico na classificatória: 420,7 pontos. Ao começar a final, ela manteve o ritmo - ao contrário da alemã Barbara Engleder, que se mostrava a principal concorrente até então.

Mas vieram as séries seguintes, e aí começou a predominância de outra chinesa: Yi Siling. Ela cresceu e ameaçou se consolidar na liderança enquanto a primeira finalista era eliminada: a americana Sarah Scherer. Mas não haveria conforto para Siling.

Na terceira série, a surpresa: surgiu uma tal de Virginia Thrasher para tomar a ponta. Também por pouco tempo. No tiro seguinte, a liderança passou para a russa Daria Vdovina.

Mas também foi uma liderança efêmera. Na série posterior, Thrasher novamente pulou na frente. E para não sair mais. Ela aumentou a vantagem na sexta série, quando Du Li correu risco de deixar a final - mas se superou e eliminou a iraniana Elaheh Ahmadi.

Veio a sétima série, e aí os tiros da americana ficaram mais instáveis. As chinesas Du Li e Yi Siling aproveitaram. Passaram a cravar tiros com nota superior a dez e encostaram na adversária enquanto Barbara Engleder era alijada da luta por medalhas.

A aproximação foi em vão. Nos tiros finais, naquele momento em que os chineses levam fama de ser mais frios, a americana atirou como uma veterana com gelo nas veias. Aumentou a vantagem, viu Yi Siling ficar com o bronze e partiu para o último tiro apenas precisando administrar a folga na pontuação para ser a primeira campeã olímpica de 2016.


Virginia Thrasher com chinesas no pódio da prova de carabina de ar 10m
Virginia Thrasher com chinesas no pódio da prova de carabina de ar 10m





Fonte: globoesporte.com