Abatido, Micale pede desculpas: "Espero virar a página"

A seleção agora precisa vencer a Dinamarca.

Neymar foi o mais acionado da seleção contra a África do Sul. Errou demais, mas não se omitiu. Diante do Iraque, neste domingo, em Brasília, foi o contrário. Apagadíssimo, o camisa 10 pouco criou e foi um dos principais alvos de uma torcida que perdeu a paciência com o time olímpico brasileiro. Lento e previsível, o capitão teve de ouvir gritos de “Marta” durante todo o segundo tempo. Não teve como responder: em outra atuação decepcionante, a equipe de Rogério Micale empatou em 0 a 0. 

No início, a torcida brasiliense parecia ter feito mea-culpa. Após a impaciência na estreia, mostrou apoio desde o início. O Brasil começou nervoso, mas, aos poucos, assumiu o controle do jogo. Porém, a produção ofensiva seguiu ruim: 12 finalizações, mas poucas de real perigo. Gabriel foi o mais incisivo, com Renato Augusto bastante participativo. Entretanto, tiveram pouca companhia. Além do discreto Neymar, Gabriel Jesus voltou a decepcionar.

Image title

A paciência demonstrada pela torcida acabou no apito que encerrou o primeiro tempo. A partir dali, o clima mudou. E a seleção olímpica sentiu. Micale colocou o time para frente, com Luan no lugar de Felipe Anderson, mas a aposta durou 10 minutos, quando Rafinha substituiu um apagadíssimo Gabriel Jesus. Nada melhorou. O time, nervoso, errou demais e foi vaiado sem dó pelos torcedores. Na melhor chance, nos acréscimos, Renato Augusto chutou para fora com o gol aberto. A equipe que prometia jogo ofensivo, dribles e gols completou 180 minutos sem balançar a rede.

A seleção asiática soube explorar a situação. Desde o início, o goleiro Hameed retardou tiros de meta, e os jogadores, especialmente no segundo tempo, aproveitaram cada oportunidade para ganhar tempo. O time sabia que a questão psicológica estaria a seu favor. Não ameaçou tanto o gol do Brasil, mas a sensação era de que, a cada avanço, poderia complicar ainda mais a vida da seleção. Ao fim do jogo, os jogadores saíram ovacionados pela torcida no Mané Garrincha. 

Image title

Após dois empates, o Brasil está na segunda posição do Grupo A, com dois pontos, e já não depende mais só de si na Olimpíada. Na quarta-feira, precisa vencer a Dinamarca para se classificar às quartas de final. Caso o Iraque não vença a África do Sul, a seleção de Micale passa em primeiro lugar do Grupo A. Mas se vencerem, a diferença de gols das partidas determinará quem passa em qual posição.

Na quarta-feira, a seleção enfrenta a líder Dinamarca, com quatro pontos, em Salvador, às 22h (de Brasília). Os iraquianos enfrentam a África do Sul, que tem um ponto, no mesmo horário, em São Paulo.

O cenário é de pesadelo para o técnico Rogério Micale. O jovem treinador, de 47 anos, que pensava em traduzir suas ideias de futebol ofensivo como parte da recuperação futebol brasileiro, tenta se agarrar à esperança de vencer a Dinamarca e passar para a próxima fase.


“Nós temos um jogo ainda, se ganharmos podemos classificar. Só depende da gente, vitória simples nos dá classificação. Continuamos confiando - disse o técnico da seleção olímpica, que pediu desculpas. – Devemos desculpas ao torcedor, ao povo de Brasília. Não conseguimos fazer nosso futebol, hoje o povo nos apoiou muito, só no fim teve vaias. Frustramos a torcida, veio, lotou o estádio para poder prestigiar a seleção, mas não conseguimos da a resposta. Com vitória simples temos a classificação. Espero que tenhamos a mesma recepção. Espero conseguir fazer o gol e virar essa página”, disse o treinador, tentando não demonstrar abatimento.

Perguntado sobre seu sentimento após mais uma decepção, o treinador disse que estava triste, mas ao mesmo tempo confiante com o resultado que classifique o Brasil no próximo domingo, em Salvador. Em 30 minutos de entrevista coletiva, tentou mostrar serenidade, mas chegou a ignorar as vaias e os gritos a favor do Iraque. Micale agradeceu o apoio dos brasilienses e disse que só ouviu vaias no fim da partida. A seleção já foi para o intervalo debaixo de muitas vaias.


“Meu sentimento é de tristeza, estou triste. Gostaria de ter presenteado o torcedor. Mas tenho também sentimento de confiança, podemos ganhar o jogo, dar a volta por cima. Se conseguirmos a classificação a gente entra no mata-mata. Precisamos passar dessa fase, temos que estar fortes mentalmente. Não adianta nada ganhar de 5 ou 7 a 0 e no primeiro mata-mata sair. Continuamos na briga pela medalha. Precisamos passar da primeira fase, precisamos do apoio do torcedor, precisamos resgatar confiança do time. Eles estão sentindo mais do que qualquer pessoa esses empates. A partir de amanhã faremos um trabalho junto ao grupo para poder dar a resposta. Acredito muito que isso vai acontecer”, afirmou Rogério Micale.

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Fonte: Com informações do Globo Esporte