“Impossível se tornou possível”, diz Bárbara após vitória no vôlei

O discurso de Ágatha foi na mesma linha do da parceira.

A primeira derrota de Kerri Walsh no vôlei de praia em Jogos Olímpicos saiu em sua quarta vez na competição, após 26 vitórias e três títulos consecutivos. E foi diante de uma dupla brasileira: Ágatha e Bárbara foram as responsáveis por derrubar a invencibilidade da lenda americana, que jogou ao lado de April Ross e perdeu por 2 sets a 0 na semifinal.

Para Bárbara, o mais importante para eliminar as experientes americanas foi acreditar desde o início. "Eu tinha falado para a Ágatha: tudo é impossível até que seja feito. Então acho que apesar de todo o histórico que elas têm, todo o favoritismo, não era impossível ganhar delas. A gente sabia que se acreditasse no nosso potencial, na nossa tática, a vitória viria. A gente jogou com muito foco e o impossível se tornou possível", disse à TV Globo.

O discurso de Ágatha foi na mesma linha do da parceira. Ela também admitiu que uma das táticas foi forçar os saques em cima de Walsh, que mostrou dificuldade na recepção, especialmente no primeiro set.

"Foi estratégia, sim. A gente focou em sacar na Walsh, já tinha feito alguns jogos contra elas, mas estávamos preparadas se tivéssemos que mudar. O tempo todo a gente falou: vamos acreditar, não é impossível. Foi muito preparo psicológico, muita força de vontade, muito treino, ajuda da torcida, muito tudo", comemorou.

A própria Walsh admitiu surpresa com o plano de jogo de Ágatha e Bárbara. "Eu sabia que elas iriam me atacar, mas não imaginei que eu teria de receber todos os saques e atacar todas as bolas", declarou à ESPN Brasil. A tricampeã de 38 anos também não quis confirmar se a Rio-2016 será sua última Olimpíada.

Na final, as brasileiras campeãs mundiais de 2015 vão enfrentar mais uma pedreira: a dupla alemã Laura Ludwig e Kira Walkenhorst, que eliminaram Larissa e Talita na outra semifinal. A decisão do ouro acontece às 23h59 (de Brasília) desta quarta-feira (17).

Vitória das brasileiras (Crédito: Reprodução)
Vitória das brasileiras (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do Uol