Joanna Maranhão vai à Justiça após ser ofendida em rede social

Os ataques começaram no último sábado

A nadadora Joanna Maranhão registrou queixa nesta sexta-feira (12) após receber insultos na internet ao ser eliminada dos Jogos Olímpicos. A atleta esteve na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) depois que usuários de redes sociais disseram que ela deveria ser estuprada, por ter sido desclassificada.

O advogado de Joanna, Fabiano Machado, disse que foram coletados mais de 200 comentários antes que fossem apagados. Segundo ele, as mensagens atacavam a honra da atleta e citavam o crime de estupro.

Joanna Maranhão vai à Justiça após ser ofendida em rede social  (Crédito: Reprodução)
Joanna Maranhão vai à Justiça após ser ofendida em rede social (Crédito: Reprodução)


A nadadora disse que resolveu fazer a denúncia após receber apoio de outras mulheres na rede: "Eu acho que tem pessoas que são agredidas na internet e resolvem não se posicionar porque cada um recebe esse tipo de agressão de uma forma e quem sou eu para julgar, mas me sinto forte o suficiente e tive muito apoio de muita gente, recebi mensagens maravilhosas. É por essas pessoas e por esse apoio que eu estou aqui também. Preta Gil já passou por isso, Maju, Letícia Sabatella, quantas mulheres vão sendo agredidas porque as pessoas quando estão atrás de um computador elas se acham no direito, acham que estão impunes e não é bem assim."

Joanna Maranhão vai à Justiça após ser ofendida em rede social  (Crédito: Reprodução)
Joanna Maranhão vai à Justiça após ser ofendida em rede social (Crédito: Reprodução)



O depoimento da atleta na DRCI levou 1h30 e acabou por volta das 14h. "Acredito na punição dessas pessoas, mas estou aqui também porque não quero que outros casos aconteçam. A vontade de fazer a diferença e de me sentir útil é muito grande", destacou a nadadora, na saída da DP.

"A questão do estupro e a tentativa de desqualificar as pautas progressistas que defendo me chocaram muito. As pessoas me atacam também pelos posicionamentos políticos que eu tenho e vou continuar tendo", disse ela, ao deixar a delegacia.

O advogado também afirmou que, após a polícia individualizar os agressores, todos serão processados nas esferas cível e criminal.

Fonte: Com informações da Uol