Rafael Silva vence luta e é bronze no judô da Rio-2016

Rafael conquistou nesta sexta-feira seu segundo bronze

Na categoria em que você tem de enfrentar o melhor atleta da história de sua modalidade, um cara que não perde há 108 lutas e tem oito títulos mundiais, ganhar uma medalha olímpica, qualquer que seja, é um título. Foi assim com Rafael Silva, o Baby, nesta sexta-feira.

O destino colocou o brasileiro na mesma chave do francês Teddy Riner, o gigante de todos os predicados do parágrafo anterior. Rafael segurou o rival por cinco minutos, mas perdeu por um wazari. Ainda restava o bronze. E o mato-grossense de 27 anos não iria deixar que uma derrota que a maioria dos especialistas já previa o abalasse.

Conquistou nesta sexta-feira seu segundo bronze
Rafael Silva conquista nesta sexta-feira seu segundo bronze (Crédito: Murad Sezer/REUTERS)

Rafael Silva é medalhista olímpico. Conquistou nesta sexta-feira seu segundo bronze, assim como Londres-2012. "A medalha em casa é muito boa. A torcida ajudou bastante, me empurrou, buscando cada shido, cada ponto. Em casa é outra coisa, estou feliz demais”, disse, muito ofegante, depois da luta ao SporTV.

Baby também comentou o fato de o judô brasileiro ter fechado com três medalhas a Rio-2016, diferente do que se previa. “Acho que no judô o resultado é muito dinâmico, muito atípico. É uma competição totalmente diferente a Olimpíada, era difícil predizer quantas medalhas sairiam. Mas acho que a equipe teve bom desempenho. A Rafa foi campeã olímpica em casa, então acho que o judô está de parabéns”.

O adversário do brasileiro na luta pela medalha, quem diria, também tem a ver com o algoz de Baby nas quartas de final da Rio-2016. Abdullo Tangriev, vigésimo do ranking mundial, e também o último a derrotar Teddy Riner em Olimpíadas.

A luta não foi das mais movimentadas e os atletas receberam um shido cada logo no início, mas o rival de Baby se mostrou muito cansado e foi só o brasileiro atacar com mais foco, que conseguiu derrubá-lo, caracterizando um yuko, suficiente para o pódio. 

Além de ter sido o último de a derrotar o multicampeão, Tangruiev tem uma história de polêmica. Ele foi pego por uso de maconha em 2012 e acabou suspenso por 2 anos do judô, voltando a competir apenas em julho de 2012.

A equipe de judô do Brasil iniciou as disputas no Rio de Janeiro cercada de expectativas e termina sua participação nos Jogos com três medalhas. Além do bronze de Baby, Mayra Aguiar também ficou com o bronze e Rafaela Silva conquistou o único outro. O planejamento do COB, no entanto, era de conquista de mais medalhas, cinco vindas do judô. 

Fonte: UOL