Organizada do Vasco invade treino e hostiliza jogadores em São Januário

Eles chegaram pela entrada social e desceram para o vestiário sem bloqueio da segurança do clube.

Cerca de 30 integrantes de uma torcida organizada do Vasco invadiram nesta sexta-feira o treinamento da equipe em São Januário. Eles chegaram pela entrada social e desceram para o vestiário sem bloqueio da segurança do clube. Os jogadores foram hostilizados durante a atividade.

A conversa com os atletas durou cerca de dez minutos. Os torcedores deixaram a parte interna do departamento de futebol e se reuniram na arquibancada de São Januário por algum tempo. O protesto ocorre após o Vasco derrota para o Goiás por 2 a 0, nesta quinta-feira, em Macaé.

O zagueiro Rafael Vaz foi o principal alvo da revolta. Acusado de abusos noturnos pelos vascaínos, o defensor foi xingado assim que subiu ao gramado. Ele recebeu o apoio dos companheiros enquanto realizava a atividade. O atacante André e o meia Bernardo também foram hostilizados.

Gritos de "Não é mole, não, tem cachaceiro jogando no Vascão" foram entoados repetidas vezes nas arquibancadas. Um carro da Polícia Militar chegou ao estádio e estacionou dentro do gramado. Os torcedores deram sequêcia ao protesto e passaram a soltar morteiros. "Se não ganhar domingo, a porrada vai comer".

Isso porque o Vasco perdeu grande oportunidade de deixar a zona de rebaixamento, passando Coritiba e Criciúma. Com a derrota, o Cruzmaltino se mantém com 32 pontos, na 18ª colocação do Campeonato Brasileiro. Na próxima rodada, a equipe encara o Botafogo, neste domingo, às 16h, no Maracanã.

Fonte: UOL