"P. da vida", Massa desabafa, elogia Alonso e nega sequelas

Ciente da fase difícil que atravessa, brasileiro não esconde insatisfação com resultados, garante receber apoio da Ferrari e acredita na volta por cim



Felipe Massa ainda não digeriu a punição recebida no GP da Espanha do último domingo, que lhe tirou a chance de iniciar a tão desejada reação na temporada: ?Estou p... da vida. Até hoje ainda tenho dificuldades para entender a razão daquele drive-through e foi naquele ponto que minha corrida foi arruinada?, desabafou o piloto, que está em Maranello, na Itália, sede da Ferrari, fazendo testes em simuladores como preparação para o GP de Mônaco, que será realizado no dia 27 de maio.

E não é só a penalização que incomoda o brasileiro. Ciente da fase difícil que atravessa, o vice-campeão de 2008 por apenas um ponto não esconde a insatisfação com os resultados na atual temporada. Com dois pontos no campeonato contra 61 do companheiro de Ferrari, Fernando Alonso, o piloto, em entrevista ao site oficial da escudeira, elogiou o momento ?perfeito? vivido pelo espanhol. O brasileiro aproveitou também para reforçar o apoio recebido da equipe e para tirar dúvidas sobre um assunto que causa dúvidas em muitos torcedores: conta que os médicos garantiram que ele não tem sequelas do acidente sofrido em 2009, quando foi atingido no capacete por uma mola do carro de Rubens Barrichello nos treinos classificatórios para o GP da Hungria.

Confira os principais assuntos abordados por Massa:

Relação com a Ferrari

Sinto que toda a equipe está ao meu lado. Obviamente, eles não estão felizes com os resultados e nem eu estou. Tudo que nós queremos é sair disso e retornar ao normal. É possível e, com certeza, é o que queremos. Sei que com a ajuda do time, nós iremos lidar com isso.

Possível sequela por acidente em 2009 na Hungria

Eu me perguntei 45 mil vezes sobre isso e não acredito que tenha acontecido. Tendo vencido muito em três anos, onze corridas, a pergunta é óbvia. E para não ficar apenas a me perguntar, fui procurar a respostas, fazendo uma série de perguntas e passando por exames médicos. Todos os médicos que consultei juram de coração que não há absolutamente nenhum vestígio do impacto com a mola. Quanto a mim, não me sinto de forma alguma diferente do como que era antes daquele fim de semana. Por exemplo, se fosse verdade que eu não teria a mesma vontade ou coragem de vencer de antes, como podem explicar o fato de eu provavelmente ser um dos melhores e em largadas e não ser do tipo de segurar quando se trata de ultrapassagem?

Diferença para Alonso

Acho que, este ano, a única corrida em que realmente houve uma grande diferença entre eu e Alonso foi na Austrália. Em seguida, na Malásia, a chuva tornou mais complicado ter uma imagem clara. A partir da China, a diferença no qualifying entre nós dois não foi tão dramática. Nem em Barcelona, mas por causa do tráfego, meu tempo no Q2 ficou na linha dos eventos anteriores. E no domingo, meu ritmo não foi tão distante. Acho que devemos também levar em conta que, no momento, a pilotagem de Fernando está incrível. Ele está em uma super forma, talvez até mesmo perfeito.

Carro da Ferrari

Definitivamente não é um carro fácil de dirigir e está difícil encontrar um bom balanço. Diversas vezes eu meu vi tendo que lutar com o carro e, nessas circunstâncias, é fácil perder um décimo aqui ou ali. É sabido que não temos pressão aerodinâmica suficiente e estamos perdendo em tração nas curvas mais lentas, o que pode ser o maior problema. Na Espanha, fizemos uma evoluçao significativa, que pode ser claramente vista na performance de Fernando na corrida. Mas eu também, quando tive pista limpa a minha frente, tive um ritmo bom. Tivemos também um pequeno progresso em velocidade, outra área que sofremos muito desde o início da temporada.

Temporada equilibrada

É ótimo para o show, porque muito mais times estão competitivos. Acho que houve diversas mudanças durante os últimos anos, técnicas e financeiras, que contribuíram de forma decisiva para isso. Até poucos anos atrás, os times que não tinham um grande orçamento não tinham chances. Mas hoje, isso não é mais o caso e acho que continuará assim no futuro. Também porque a tendência é continuar cortando custos, ainda mais pelo que acontece no resto do mundo.

Influência dos pneus

A influência varia de circuito para circuito. No Bahrain e na Espanha, tivemos alta degradação e os pneus tiveram um papel decisivo, mas em outros, onde a degradação é mais normal, acho que o carro mais rápido em termos absolutos será superior. Dito isto, claramente aqueles que fazem o melhor trabalho de gestão dos pneus, tem a melhor estratégia e não cometem erros, terão mais chances de vencer.

Morar e correr em Mônaco / Mario Kart com o filho

Em dias normais, você não sente que você está em uma pista, exceto no hairpin Loews, onde as zebras estão sempre lá. Quando você dirige por ali você sempre tem em mente que você está realmente na pista do GP. Em qualquer outro lugar você nunca pensaria sobre isso. Obviamente, agora, você está muito na pista, com as barreiras e as zebras já instaladas. Felipinho sabe que é o lugar onde eu corro, mas ele está apenas interessado que eu seja capaz de conduzir como no Mario Kart, a fim de pegar os bônus! Nós gastamos anos jogando esse jogo de videogame.

Pole positione e 3º lugar em 2008

Foi fantástico e lamento não ter conseguido ganhar em 2008, quando eu consegui começar na frente de todo o grid. A chuva e o Safety Car certamente não me fizeram nenhum favor, porque eu tinha um ritmo bom o suficiente para vencer. Aquela volta no dia anterior foi realmente incrível, algo que nunca vou esquecer. Terminar a corrida em Mônaco já é um bom resultado, mas ganhar é algo que te faz parte da história.

Particularidades do GP de Mônaco

Especialmente do ponto de vista físico. O GP de Mônaco é uma corrida muito longa, onde você não tem nenhum momento para relaxar, porque está sempre no limite, sempre raspando nas barreiras. Então, eu trabalho muito mais do que o habitual o treinamento aeróbico. Do ponto de vista técnico, o ajuste do carro tem algumas características muito específicas. Apenas a prova de Cingapura possui características com a corrida monegasca.

A próxima chance do brasileiro para reagir no campeonato é no GP de Mônaco, sexta prova do Mundial 2012, que será disputado de 24 a 27 de maio. A tradicional etapa nas ruas do principado terá transmissão ao vivo do treino classificatório e da corrida pela TV

Fonte: GloboEsporte.com