Pacotão do São Paulo: Kardec perdeu um gol feito, zaga falha e Pato é vaiado

Num Morumbi com mais de 43 mil pessoas, Tricolor troca muitos passes, tem o domínio, não consegue marcar e toma gol em vacilo de Rodrigo Caio

O São Paulo teve 68% de posse de bola e trocou 508 passes (50 errados). A Chapecoense passou 191 vezes (33 erros), mas teve 47 desarmes contra 12 do Tricolor. Marcando forte, e jogando "por uma bola", o time catarinense surpreendeu a equipe de Muricy e venceu por a 1 a 0, na noite deste sábado, no Morumbi, diante de 43 mil pessoas.

Alan Kardec teve excelente chance para marcar no início do segundo tempo, mas parou no goleiro Danilo. Pouco depois, a Chapecoense aproveitou um buraco deixado por Rodrigo Caio para chegar ao gol, com Ricardo Conceição. Na tentativa de empatar e virar o jogo, Muricy colocou Pato no lugar de Ademilson - a torcida vaiou.

Confira um resumo da partida:

Sabe o cartão amarelo bobo que Thiago Silva levou contra a Colômbia, deixando-o fora do jogo contra a Alemanha nas semifinais da Copa do Mundo? Rodrigo Caio tomou um idêntico. O zagueiro tricolor atrapalhou a saída de bola do goleiro Danilo e foi advertido pelo árbitro.

Rodrigo Caio, que já tinha cartão amarelo, ajeitou uma bola com o braço direito. Para o ex-zagueiro William, comentarista do SporTV, ele poderia ter recebido o segundo amarelo - ou seja, seria expulso, logo aos 17 minutos de jogo. O curioso é que o árbitro paranaense Felipe Gomes da Silva levou alguns segundos para dar a falta - teria apitado no grito?

A primeira grande chance de gol demorou a sair - veio só aos 33 minutos. Douglas cruzou de pé esquerdo para a grande área para Ganso, que subiu sozinho e desviou de cabeça - para fora. Jogadores da Chapecoense reclamaram de impedimento, sem razão - a posição do meia era boa.

O São Paulo trocou passes a exaustão, esperando para tentar furar a boa defesa da Chapecoense. No começo do segundo tempo, empolgada com essa estratégia, a torcida chegou a gritar olé. No total, o Tricolor teve 68% de posse de bola e trocou 508 passes (50 errados). A Chapecoense passou bem menos - 191 vezes (33 erros) -, mas saiu com a vitória.

Fonte: Globo Esporte