Palmeiras desperdiça seu pênalti, empata com Audax e perde os 100%  no Pacaembu

Palmeiras desperdiça seu pênalti, empata com Audax e perde os 100% no Pacaembu

Alan Kardec tem a chance da virada, mas para no goleiro Felipe Alves. Denilson, do Audax, e Mendieta, do Palmeiras, balançam a rede

Teve de tudo no Pacaembu. Até chuva, que andava sumida em São Paulo. Sob o forte calor da capital paulista, Palmeiras e Audax fizeram ótimo jogo na tarde deste domingo e terminaram empatados por 1 a 1, pela sétima rodada do Campeonato Paulista. A tarde poderia ser de Alan Kardec. Ele teve nos seus pés a chance da virada do Verdão, num pênalti sobre Marquinhos Gabriel. Mas o centroavante parou duas vezes no bom goleiro Felipe Alves, também responsável por salvar o time de Osasco frente a frente com Valdivia nos minutos finais.

Valente, o Audax não deixou de tocar a bola na defesa mesmo quando encurralado pelo Palmeiras, principalmente no primeiro tempo. Depois de ver Denilson abrir o placar para o time de Osasco, o Verdão empatou com Mendieta, que mudou o jogo, mas não teve forças para virar. Com o empate, a equipe da capital perdeu o 100% de aproveitamento no centenário.

Agora, o Palmeiras se prepara para encarar o Corinthians, no clássico do próximo domingo, no Pacaembu. A equipe chegou aos 19 pontos, na liderança do Grupo D. O Audax, com nove, ocupa a terceira posição no Grupo B, e, no próximo sábado, enfrenta o Rio Claro.

Palmeiras anula ?carrossel?, mas não faz

O Palmeiras claramente estudou o ?carrossel? do Audax para anular o estilo de jogo adversário. A fórmula foi simples: marcação por pressão em bloco desde a saída de bola. O caçula do Paulistão, que se orgulhava de um futebol de toques, sem chutões, ficou sufocado. E passou a errar, entregando a bola ao Verdão, que, no entanto, não teve capricho nas finalizações.

Com dificuldade para impor seu toque de bola, o Audax sofreu. Pouco criativo, teve de recorrer aos chutes de longa distância - algo que ainda não havia acontecido neste Paulistão. Denilson, o mais criativo e habilidoso do time de Osasco, assim como Nenê Bonilha e outros tentaram, mas pararam em Fernando Prass e nos próprios erros.

A não ser por lances esporádicos do Audax, só deu Verdão. Comandado por Valdivia, o melhor palmeirense no primeiro tempo, o time abusou dos gols perdidos. Leandro, o mais acionado no ataque, finalizou cinco vezes. Mas não venceu o bom goleiro Felipe Alves.

Verdão se supera, mas para em goleiro

Seria muito difícil para o Palmeiras manter no segundo tempo a intensidade na marcação apresentada na etapa inicial. A tendência era a equipe paulistana afrouxar e o Audax crescer. Foi exatamente o que aconteceu.

O técnico Fernando Diniz trocou Caio por Thiago Silvy, e Nenê Bonilha por Carlos Magno. O time de Osasco melhorou, e, na primeira chance, abriu o placar: em falha generalizada da defesa alviverde, a jogada iniciada em uma cobrança de lateral sobrou limpa para Denilson, que, livre, fuzilou Prass, aos sete minutos.

A partir dali o jogo ficou aberto. Descontente com Leandro e Mazinho, Kleina os trocou por Diogo e Marquinhos Gabriel, respectivamente. No entanto, sem a mesma força física apresentada no primeiro tempo, a equipe verde tinha dificuldades para superar o bloqueio do time de Osasco, mais solto e explorando bem os contra-ataques. Com a vantagem, o Audax valorizou ainda mais a posse de bola para cansar o Verdão e ficou perto de ampliar com Rafinha, que esbarrou em Prass.

Kleina tentava mudar o panorama e trocou Wesley por Mendieta.

Alteração decisiva: com dois minutos em campo, o paraguaio transformou a equipe. Em seu primeiro lance, acertou o travessão em uma cobrança de falta. Em seguida, aos 33, empatou o jogo. A zaga do Audax cortou mal um cruzamento e a bola sobrou para o camisa 8 chutar de pé direito, empatando a partida.

O empate fez o Palmeiras acordar. Aos 37, Marquinhos Gabriel invadiu a área, tentou o drible e acabou derrubado por Francis: pênalti. Kardec foi para a cobrança, bateu forte no canto esquerdo, rasteiro, mas o goleiro Felipe Alves espalmou. No rebote, o próprio Kardec chutou, e o goleiro salvou novamente. O Verdão ainda perderia outra grande chance, aos 42, quando Valdivia recebeu livre na área e chutou. Felipe Alves, mais uma vez, salvou o Audax.

Fonte: GloboEsporte.com