Pan-Americano: Cuba supera Brasil no quadro de medalhas

A "ultrapassagem" cubana foi concretizada pela vitória de Aguilar e Torres sobre Silva e Oliveira.

Ocupado pelo Brasil durante quase todo o Pan-Americano de Guadalajara, o segundo lugar no quadro geral de medalhas saiu das mãos do País nesta sexta-feira. Após vencer a prova C2 1.000 m com a dupla Karel Aguilar e Serguey Torres, a delegação cubana igualou a brasileira em número de ouros, superando a rival no de pratas. Curiosamente, a segunda posição desse decisivo evento da canoagem foi justamente dos representantes nacionais Erlon Silva e Ronilson de Oliveira.

A "ultrapassagem" cubana foi concretizada pela vitória de Aguilar e Torres sobre Silva e Oliveira. Na competição, os cubanos percorreram os 1.000 m da Pista de Remo e Canoagem de Ciudad Guzmán em 3min39s280 - 1s202 mais velozes que os brasileiros. O bronze foi para os venezuelanos Ronny Ratia e Anderson Ramos, que cravaram 3min40s990.

O êxito foi ainda mais saboroso porque levou o país do Caribe à vice-liderança do quadro geral do Pan. Cuba, que já havia ganhado o título do K1 1.000 m nesta sexta com o atleta Jorge Antonio Garcia, soma agora 39 medalhas douradas, mesmo quantidade do Brasil.

Os caribenhos, porém, têm 28 contra 26 pratas - duas delas também conquistadas no terceiro dia de competições da canoagem, no C1 1.000 m, e no K2 1.000 m. As siglas se referem ao tipo de embarcação utilizada - caiaque, do inglês "kayak", ou canoa, do inglês "canoe" - e ao número de atletas remando.

Fonte: Terra