Para advogado do Vasco, teve má-fé ao preencherem a súmula da partida

A súmula foi muito bem arquitetada, propositalmente, com todos do quadro de arbitragem

A tentativa do Vasco em anular a final do Campeonato Carioca passa prioritariamente pela súmula da partida contra o Flamengo, no domingo passado, no Maracanã, que terminou empatada por 1 a 1. No documento, o árbitro Marcelo de Lima Henrique atribuiu o gol que deu o título para o Rubro-Negro ao atacante Nixon, e não a Márcio Araújo, o verdadeiro autor, e que estava impedido. Para o advogado do Cruzmaltino, Marcello Macedo, houve má-fé por parte do quadro de arbitragem.

- O caminho é o do erro de direito. Não só pela má interpretação da norma, mas sobretudo pela confecção da súmula. Essa súmula é ponto nodal disso tudo, essa é a grande discussão. A súmula foi muito bem arquitetada, propositalmente, com todos do quadro de arbitragem, para impedir um posicionamento do Vasco em entrar na Justiça. Nós só podemos ter esse entendimento (de que houve má-fé pelo quadro de arbitragem do clássico), passível de ser levado em conta, porque todos sabiam que o autor do gol foi o Márcio Araújo, e não o Nixon - afirmou Macedo.


Para advogado do Vasco, houve má-fé no preenchimento da súmula

O advogado vascaíno disse ainda que o clube vai entrar com a representação no TJD-RJ na próxima quarta-feira, último dia para tomar as medidas judicias cabíveis.

- O Vasco vai entregar esse pedido de anulação amanhã, que é o prazo final. Não acredito que haja facilidade (em anular o jogo). Mas houve um prejuízo muito grande ao Vasco. Não foi só uma cena, são várias cenas, que prejudicaram muito o Vasco no Carioca, no qual deixamos de ser campeões. Teve o gol do Douglas (no clássico com o Flamengo na Taça Guanabara), dois pênaltis não marcados contra o Bonsucesso, gol do Fred em impedimento, contra o Fluminense. O Vasco sempre participando destas cenas e sempre sendo prejudicado. A repercussão disso é muito dura.

Mas Marcello Macedo também revelou que o Vasco entrará na Justiça comum para tentar reaver os ressarcimentos que o clube julga que perdeu.

- Por isso, também teremos a notificação de maneira cível. Não é possível que as pessoas não assumam suas responsabilidades. É um prejuízo muito grande ao clube, em premiação, na premiação por patrocínios. Por isso, o Vasco pede a profissionalização da arbitragem e esses prejuízos devem ser saldados por alguém. O Vasco vai pedir esse ressarcimento.

Fonte: GloboEsporte