Para Isinbayeva, punição à Rússia 'é uma violação dos direitos'

Isinbayeva é bicampeã olímpica e se revoltou com punição

Bicampeã olímpica e recordista mundial no salto com vara, Yelena Isinbayeva classificou a punição da Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) ao atletismo da Rússia - continuam sem autorização de participar de competições internacionais e estão fora dos Jogos Olímpicos do Rio - como violação aos direitos humanos.

Para a agência russa TASS, a atleta disse que entrará com um pedido na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês). "Isso é uma violação dos direitos humanos. Não ficarei em silêncio. Vou recorrer a um tribunal de direitos humanos. Vou provar para IAAF e Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) que eles tomaram a decisão errada. Farei isso para que seja entendido que a Rússia não ficará em silêncio", afirmou.

Yelena Isinbayeva
Yelena Isinbayeva

Suspensos desde novembro, os russos seguem de fora de competições internacionais e não poderão competir nos Jogos Olímpicos do Rio, em agosto. A IAAF decidiu nesta sexta-feira que o país não deu provas suficientes do trabalho de combate ao uso de substâncias proibidas após escândalo de doping sistemático.

Para a agência TASS, Isinbayeva também confirmou a sua presença em um campeonato nacional em Cheboksary, na próxima semana - de segunda a quinta-feira. Aos 34 anos, pode ser a sua última grande competição. "É provável que Cheboksary seja o último grande evento na minha carreira". No entanto, a saltadora russa ainda tem esperança de participar da Olimpíada.


Fonte: iG