Lateral Fagner chama atenção do Vasco para armadilhas do Bahia

Fagner diz acreditar que a atitude da equipe será fundamental para driblar as armadilhas impostas pelo técnico Joel Santana


Para vascaínos, atenção e atitude são armas para vencer o Bahia

Passa semana, entra semana, o discurso no Vasco é o mesmo: ?Todo jogo é decisivo?, ?São finais?, ?Não podemos vacilar? e por ai vai. Para que tudo isso seja colocado em prática no próximo domingo, diante do Bahia, em Pituaçú, Fagner diz acreditar que a atitude da equipe será fundamental para driblar as armadilhas impostas pelo técnico Joel Santana.

- Joel vai armar algum esquema para dificultar nossas ações. Precisamos de tranquilidade e inteligência. Não podemos esperar muito, pois podemos nos atrapalhar. Temos que entrar decidido no que queremos e saber a hora certa de tomar alguma atitude ? declarou.

Fernando Prass seguiu a linha de pensamento do lateral. Segundo o goleiro, o comandante baiano sabe muito bem como anular as características ofensivas dos adversários.

- Os times do Joel (Santana) costumam marcam muito, geralmente tomam poucos gols. O estádio deve estar lotado e precisamos de atenção para não tomarmos gol ? analisou.

Para muitos analistas, o Bahia costuma jogar melhor fora do que dentro de casa. Dos 15 jogos como mandante, a equipe baiana conquistou cinco vitórias, sete empates e três derrotas. A campanha irregular do time de Joel Santana dentro de seus domínios fez o goleiro cruz-maltino relembrar algo semelhante que aconteceu na última temporada.

- Ano passado, as pessoas falavam que nosso time era melhor fora do que dentro de casa pelas características dos nossos jogadores. Vejo o Bahia atuando de uma forma semelhante àquela nossa de 2010. De repente pode ser por esse caminho que devemos explorar ? avaliou Fernando Prass.

Independentemente da situação do rival, o peso da vitória existe dentro de São Januário. Segundo Fagner, o Vasco só passa por este tipo de pressão pelo bom posicionamento na tabela.

- Você sabe que a responsabilidade aumenta a cada jogo, pois fomos nós que a trouxemos. Se estivéssemos em décimo, isso não aconteceria ? disse o camisa 23.

As possíveis voltas de Juninho e Felipe animam o jogador, que apontou na experiência dos meio-campistas uma qualidade fundamental para tranquilizar os mais jovens.

- É bom ter dois jogadores com experiência, pois isso nos passa tranquilidade, principalmente para os mais novos ? concluiu.

Fonte: Globo Esporte