Perguntado sobre Ronaldinho, Mano diz que "não pode andar em círculos"

Perguntado sobre Ronaldinho, Mano diz que "não pode andar em círculos"

A pergunta sobre Ronaldinho veio logo depois de o treinador explicar o retorno de Kaká à seleção

Menos de uma hora depois de chegar ao hotel da seleção em Malmo, onde nesta quinta-feira o Brasil enfrenta o Iraque, o técnico Mano Menezes concedeu uma entrevista coletiva a jornalistas estrangeiros. Um dos assuntos sobre o qual teve que falar foi Ronaldinho. Depois de elogiá-lo, o treinador deu a entender que o jogador do Atlético-MG não faz parte dos seus planos.

- Muitos jogadores querem voltar à seleção e isso é importante. Recentemente falei sobre o Ronaldinho. Respeito todos os grandes jogadores e acredito que é sempre possível fazer grandes realizações com grandes jogadores. Mas temos um caminho e não podemos ficar andando em círculos, porque senão não chegaremos a lugar algum. Se sempre vamos retornar para os mesmos nomes, vamos chegar em 2014 com as mesmas opções de 2010. Se estiver jogando bem, sempre vai ser observado. Mas prefiro falar sobre os jogadores que estão aqui - afirmou Mano.

A pergunta sobre Ronaldinho veio logo depois de o treinador explicar o retorno de Kaká à seleção dizendo que a fase de observações havia terminado e era o momento de trazer nomes experientes de volta.

- O ideal é não fazer uma mudança ficar com um bom número de jogadores experientes. Não é o nosso caso, porque tínhamos uma geração com idade avançada e porque optarmos por uma reformulação mais radical porque não teríamos que passar pelas Eliminatórias. Acho que passamos bem por esse período inicial e agora podemos pensar na etapa final de composição da seleção. É o que estamos fazendo e vamos fazer com jogadores mais experientes, como no caso do Kaká - disse.

A um jornalista sueco que quis saber a repercussão que o resultado contra o Iraque terá no Brasil, Mano respondeu:

- Se vencermos, nenhuma. Se perdermos será muito importante. Futebol é assim. Você tem que saber enfrentar situações diferentes, seja com adversários mais fortes ou com adversários contra quem se encontrem mais facilidades. O importante é cada vez nos impormos mais como seleção. É isso que buscamos a cada partida que jogamos.

Após a coletiva, Mano desceu ao saguão do hotel para encontrar com Zico e a comissão técnica da seleção iraquiana.

Fonte: Globo Esporte