Polêmico, Balloteli é apontado por Neymar como seu "parça" na Europa

Balotelli é tido por Neymar como seu parceiro na Europa

Se não ficou preocupado, é melhor o estafe de Neymar ficar atento à vida social do atacante na Europa. O primeiro "parça" europeu do atacante foi revelado nesta quinta-feira, quando o ex-santista afirmou ter ficado amigo de Mario Balotelli depois de conhecer o atacante no empate entre Brasil e Itália, em Genebra, em março. Um sujeito cuja genialidade em campo rivaliza com as confusões que apronta fora dele. Uma prévia foi dada naquela mesma noite no estádio do Servette, quando o atacante italiano entrou apenas de toalha no vestiário brasileiro para socializar com Neymar, Marcelo e mesmo Felipão.



Na verdade, Neymar e Balotelli já têm outro encontro marcado para o Brasil, já que a seleção enfrenta a Itália na última partida da primeira fase da Copa das Confederações , dia 22, em Salvador. "Balotelli é um grande jogador, sou fã dele e ficamos amigos depois da partida contra a Italia. É uma grande pessoa, sempre o vi jogar e o admirei pelas jogadas", contou Neymar na coletiva.

Em Genebra, Balotelli levou (na mão) uma camisa para trocar com o jogador brasileiro. Mas a falta de pudores de Balotelli muitas vezes choca mais do que diverte. De 22 anos, o jogador divide opiniões na Itália, apesar de hoje ser um dos maiores astros da seleção. Revelado pelo Lumezzane, clube da quarta divisão italiana, Balotelli fez testes no Barcelona, mas acabou nas divisões de base da Inter de Milão.

Promovido ao time titular em 2007, Não demorou muito para aprontar confusões e foi suspenso tanto pelo então treinador, Roberto Mancini, como pelo seu sucessor, José Mourinho. O auge de suas confusões foi em 2010, quando apareceu num programa de TV usando uma camisa do arquirrival Milan.

Vendido ao Manchester City por 22 milhões de euros em agosto daquele, Balotelli se transformou numa figura tão polêmica quanto folclórica no futebol inglês. Brigou com colegas, com o treinador (Mancini mais uma vez) e se envolveu em incidentes extra-campo dignos de um filme americanos de badernas universitárias. Jogou dardos em jogadores da equipe juvenil do City, bateu com o carro no centro comercial de Manchester e, como cereja no bolo, quase pôs fogo em sua própria casa quando tento soltar fogos de artifício de uma janela.

Tantas fez o jogador que o City o vendeu para o Milan em janeiro deste ano. Incrivelmente, ele causou mais problemas no campo: em 13 partidas pela equipe italiana, marcou 12 gols e foi crucial para que o Milan fechasse a temporada em terceiro lugar, classificando-se para a Liga dos Campeões. Caso fique mesmo amigo de Neymar, será interessante ver a diferença de estilos entre ele e o principal amigo do atacante no futebol, o tímido Ganso, hoje no São Paulo.

A seleção brasileira estreia neste sábado, às 16h, contra o Japão, na Copa das Confederações.

Fonte: UOL