Presidente do Boca ameaça não permitir corintianos na final

Presidente do Boca ameaça não permitir corintianos na final

Daniel Angelici pede 4.500 ingressos para sua torcida no Pacaembu. Caso não receba, o mandatário diz que as finais podem ser sem visitantes

Assim como ocorreu antes dos duelos diante do Universidad de Chile, a direção do Boca Juniors dá mostras de que irá brigar até o fim para ter o maior número possível de torcedores no jogo da volta da decisão da Libertadores. Nesta sexta-feira, Daniel Angelici, presidente do clube argentino, pediu 4.500 entradas no segundo jogo contra o Corinthians, no Pacaembu, e disse que, se não receber, avaliará se fornecerá ingressos para os corintianos.

- Esperamos que nos deem 4.500 entradas no Brasil. Se nos derem poucas, avaliaremos se jogamos sem visitantes. Estamos dispostos a dar 4.500 entradas ao Corinthians e pedimos o mesmo para o segundo jogo - disse o dirigente a uma emissora de rádio da Argentina.

Na partida contra o Santos, o Corinthians forneceu apenas 1.300 entradas para os torcedores santistas - 3.200 a menos do que o presidente do Boca Juniors está pedindo para os xeneizes.

No duelo da semifinal contra o Universidad de Chile, o Boca também ameaçou não fornecer nenhuma entrada para os torcedores adversários caso não recebesse o que estava pedindo (3 mil ingressos) para o jogo no Chile. Os dois clubes discutiram e, no final, Angelici saiu com o que pedia.

O Boca Juniors começou a vender nesta sexta-feira os ingressos para os sócios do clube. O preço das entradas variam de 120 pesos (cerca de R$ 60) até 300 pesos (cerca de R$ 150).

A assessoria de imprensa do Corinthians confirmou que, até o fim do dia desta sexta-feira, o Boca Juniors ainda não havia confirmado a carga total de ingressos que será destinada ao torcedor corinthiano na primeira partida da final, em Buenos Aires,a na próxima quarta.

Fonte: Globo Esporte