Presidente do Galo anuncia: "Trio está na geladeira"

Em 2009, Alexandre Kalil chegou a dizer que havia uma quadrilha na comissão de arbitragem

O presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, disse na noite desta segunda-feira que o trio de arbitragem que comandou o clássico contra o Cruzeiro, no último sábado, quando o Galo foi derrotado por 3 a 1, em jogo válido pela sexta rodada do Campeonato Mineiro, está afastado por tempo indeterminado. O presidente mandou dois representantes alvinegros à Federação Mineira de Futebol nesta segunda-feira para protestar contra a arbitragem do clássico. E, segundo ele, a reclamação deu certo.

"O Atlético agiu. Ano passado a gente assistiu ao mesmo filme. O presidente esbravejou e nada aconteceu. Dessa vez a Federação, que está com uma nova direção de arbitragem, escutou o doutor Castellar (Guimarães Filho, assessor da presidência) e o doutor (Rodolfo) Gropen (diretor de gestão), que levaram as imagens do jogo. E o trio está na geladeira, por tempo indeterminado, como deve ser quando gente de boa fé trata as coisas de boa fé. O Atlético recebeu a noticia, vai tomar conta do gancho, que deve ser longo, e o trio vai ficar de pijama por um bom tempo", anunciou.

Após o clássico, o técnico do Galo, Wanderley Luxemburgo, reclamou muito do árbitro Renato Cardoso da Conceição e dos seus assistentes, Guilherme Dias Camilo e Jair Albano Félix. Este último foi o responsável por toda polêmica. O árbitro anulou um gol legal do Atlético quando o jogo estava empatado por 1 a 1, atendendo a marcação do bandeira Jair Félix, que assinalou impedimento do atacante Diego Tardelli. Durante a entrevista, Alexandre Kalil ainda parabenizou a Federação Mineira de Futebol e sua comissão de arbitragem pela decisão de afastar o trio e enalteceu a direção do clube.

"Foi um trabalho feito de uma diretoria que age, que aprende a cada dia como agir. E como nós somos patos novos no futebol, estamos apenas um e dois meses no cargo, o ano passado serviu de lição, quando gritamos, esbravejamos, e nada aconteceu. Dessa vez não, quem fez vai ter que pagar pelo que fez. Está de parabéns a comissão de arbitragem da Federação, e está de parabéns a Federação Mineira de Futebol por essa mudança de atitude. Nós temos que saber que de um tempo para cá nada aconteceu com quem fez muito mal ao Atlético. Isso não vai mais se repetir. O Atlético vai ter que ser tratado com mais carinho", concluiu o dirigente.

Em 2009, Alexandre Kalil chegou a dizer que havia uma quadrilha na comissão de arbitragem da Federação Mineira de Futebol. Este ano, após o jogo de sábado, o dirigente postou em seu twitter a seguinte frase: "Fomos assaltados!".

Fonte: Terra, www.terra.com.br