Presidente do Palmeiras chama juiz de "safado" após derrota e pode ser punido

Se o caso realmente for ao tribunal, a denúncia se enquadraria no artigo 188

As acusações feitas pelo presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo, ao árbitro Carlos Eugênio Simon podem render uma longa suspensão ao dirigente. De acordo com o procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Paulo Schmitt, se o caso realmente for ao tribunal, a denúncia se enquadraria no artigo 188 ("manifestar-se de forma desrespeitosa, ou ofensiva, contra membros do Conselho Nacional de Esporte (CNE); dos poderes das entidades desportivas ou da Justiça Desportiva, e contra árbitro ou auxiliar em razão de suas atribuições, ou ameaçá-los").

Schmitt afirmou que ainda vai analisar o caso.

A tendência é que Belluzzo seja denunciado. Em caso semelhante, a Procuradoria do STJD apresentou denúncia contra o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, que chamou de "canalha" o árbitro Nielson Dias, que apitou a partida do time carioca contra o Santos no último dia 31. Braz disse que o juiz não poderia "deixar o estádio tranquilamente".

O dirigente do Flamengo foi denunciado no mesmo artigo 188, cuja pena prevista é de 30 a 180 dias de suspensão. O julgamento está marcado para esta segunda-feira.

No fim do jogo entre Fluminense e Palmeiras, neste domingo, o presidente alviverde chamou Simon de vigarista e disse que o árbitro estaria "na gaveta de alguém". Ele chegou a ameaçar o juiz de agressão caso o encontrasse na rua. A revolta foi em função da anulação de um gol marcado por Obina. Simon deu falta do atacante no lance.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com