Protagonista ‘forçado’, Uruguai busca vaga na final diante dos peruanos

Protagonista ‘forçado’, Uruguai busca vaga na final diante dos peruanos

Eguren e Gargano disputam a vaga de Diego Pérez, expulso diante dos hermanos

Com as eliminações precoces de Argentina e Brasil, o Uruguai passou a ser o grande protagonista da Copa América. E nesta terça-feira, em La Plata, a Celeste tenta mostrar diante da seleção peruana que a boa campanha no último Mundial, quando ficou em quarto lugar, não foi à toa.

No entanto, os uruguaios tentam evitar esse rótulo de favoritos a todo custo. Mesmo sabendo que, desde 1995, ocasião na qual sediou e conquistou a Copa América pela última vez ? com vitória sobre a Seleção -, o caneco nunca esteve tão perto.

Hoje em dia estamos vendo que a história não pesa. Sabemos que vai ser complicado. Temos que jogar e fazer o melhor possível para vencer a partida ? disse o atacante Forlán, que tenta levar o Uruguai à hegemonia de títulos na América do Sul (a seleção tem 14 conquistas assim como a Argentina).

Álvaro Pereira repete o discurso da principal estrela do time. O meia ressalta que o fato dos uruguaios terem eliminado os argentinos nas quartas de final, no último sábado, não os tornam superiores aos peruanos. E cita a queda da Seleção Brasileira diante do Paraguai como exemplo.

- Hoje, uma partida não se ganha com nome. Só ver o que aconteceu com o Brasil - afirmou o atleta, lembrando também que, na primeira fase da Copa América, o Uruguai suou a camisa para empatar por 1 a 1 com os peruanos em San Juan.



Para a partida diante dos peruanos, cujos números do confronto dão ampla vantagem à Celeste (31 vitórias contra 16 do rival), o técnico Oscar Tábarez não confirmou os titulares. Eguren e Gargano disputam a vaga de Diego Pérez, expulso diante dos hermanos. Na zaga, o cruzeirense Victorino, machucado, dever dar lugar a Coates.

Coadjuvantes, peruanos apostam em... uruguaios

Depois de conseguirem a classificação a uma semifinal de Copa América após 14 anos de ausência, os peruanos, que bateram a Colômbia nas quartas com um 2 a 0 na prorrogação, querem ir mais longe. Para isso, contam com uma comissão técnica uruguaia. O técnico é Sergio Markarián que, quando comandava o Paraguai, nunca perdeu para a seleção do seu país. E o seu auxiliar é ninguém mais, ninguém menos do que Bengoechea, ex-jogador da Celeste que, em 1995, fez um gol na final da Copa América diante do Brasil (empate de 1 a 1 no tempo normal e triunfo uruguaio nos pênaltis).

Com dois profundos conhecedores do rival, o Peru espera voltar ao cenário do futebol sul-americano em grande estilo e repetir as campanhas de 1939 e 1975, quando ficou com o título do campeonato. Na primeira, curiosamente, o troféu veio após uma decisão diante do Uruguai.

- Sabemos que temos uma partida difícil pela frente. Mas podemos fazer história. Temos bons atacantes e somos consistentes na defesa. Não viemos com o status de protagonistas, mas sabíamos que poderíamos fazer um bom campeonato e agora podemos chegar à final - comentou o defensor Revoredo.

O último treino do Peru antes da decisão com o Uruguai foi inusitado. Por causa da chuva que atingiu Buenos Aires durante toda a segunda-feira, o treinador, ciente de que o campo do San Lorenzo, programado para receber a equipe, não estava nas suas melhores condições, optou por preservar os jogadores. Assim, os atletas peruanos fizeram apenas uma atividade em um espaço do hotel onde estão hospedados na capital argentina.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com