Queimadura em moto pode tirar Adriano de jogo decisivo contra o Corinthians no domingo

A queimadura foi consequência de um passeio na carona de uma moto

Adriano não treinou na quinta-feira. No seu pé esquerdo, a marca de mais uma travessura: uma queimadura, consequência de um passeio na carona de uma moto, que causa muitas dores no camisa 10, fez com que ele concedesse entrevista de meias para não chamar atenção, caminhasse com dificuldades do vestiário até o ônibus da delegação e deixasse aceso o sinal de alerta no Flamengo para o jogo com o Corinthians, domingo. A informação passada pelo clube foi a de que o atacante teria se machucado em casa, versão derrubada na roda de amigos do jogador.

"Não foi nada, problema normal", limitou-se a dizer Adriano, pouco depois da entrevista concedida na quinta, no Ninho do Urubu, sem mencionar a queimadura. O problema foi minimizado e os médicos não se pronunciaram sobre o assunto. O clube fez o comunicado do problema quando o atacante já estava no ônibus da delegação.

Nesta sexta, ele será reavaliado para saber como está o local afetado, na parte de dentro do tornozelo, em uma parte essencial, pois é muito exigida desde uma simples corrida até o chute, ainda mais sendo a perna esquerda, o forte de Adriano. Geralmente, o segundo dia depois da queimadura é que se tem noção exata da gravidade.

Na quinta, o jogador não demonstrava o mesmo bom humor das últimas entrevistas. Depois de conversar com os amigos, ele foi ao departamento médico e fez alguns poucos exercícios na sala de musculação. O atacante chegou a relutar em falar com a imprensa, como fora agendado na véspera, mas acabou aceitando responder às perguntas dos jornalistas e até esboçou alguns sorrisos.

Entre os amigos presentes ao Ninho do Urubu para acompanhar o jogador - como acontece diariamente - um dos parceiros mais desavisados deixou escapar. "Pô, a queimadura tá feia. Deu vacilo na moto", comentou um amigo.

Fonte: Terra, www.terra.com.br