Quilos a mais de adversário de Belfort podem ser trunfo

Quilos a mais de adversário de Belfort podem ser trunfo

Anthony Johnson exagerou e não chegou nem perto do limite de sua nova categoria

Estreando entre os pesos-médios (84 kg), o americano Anthony Johnson roubou a atenção durante a pesagem oficial do UFC Rio na última sexta-feira (13). Visivelmente mais forte do que seu adversário, o brasileiro Vitor Belfort, “The Rumble” nem sequer fez cara de espantado ao pesar os ridículos 89,5 kg, arca incrivelmente elevada.

E, como estava muito acima do peso, ficou óbvio que ele não cumpriria a rotina daqueles que têm dificuldades de bater o peso correto, ou seja, encarar mais 90 minutos de sauna e exercícios para secar os últimos gramas. Sendo assim, como previsto nas regras, a decisão sobre a realização ou não do embate ficaria na mão de Belfort.

Mas, claro, devido a importância do evento e por ser se tratar de sua primeira luta de MMA em sua terra natal Belfort nem pensou em recusar o duelo. Com a disputa aceita, dois pontos, ambos previstos nas normas do evento, vieram a tona.

O primeiro é que o americano foi punido em 20% de sua bolsa devido à falta de compromisso em bater o limite de sua categoria. O próximo foi a imposição de que Johnson não poderia passar dos 93 kg até o meio-dia de sábado (14), tempo que serviria para tentar igualar as condições entre os competidores, uma vez que Belfort já estaria recuperando o peso perdido para a pesagem.

Com tal cenário, podemos identificar duas situações. A mais possível é de que Johnson não se esforçou o suficiente para bater o peso pensando justamente em não sofrer para isso. É de se esperar que ele apenas administre sua recuperação de peso até o meio-dia, bate os 93 kg e, a partir daí, ganhe algo em torno de quatro pounds (dois quilos) Caso isso se confirme, o peso pode ser um fator importante para o americano, lembrando que ele sofreu menos que Belfort antes da pesagem.

Com cerca de quatro quilos a mais que o adversário, Johnson se apresentará mais forte e explosivo do que o rival, o que, devido à característica do brasileiro de partir para o ataque no primeiro round, pode fazer a diferença.

O outro cenário poderia implicar em uma versão menos atlética do “Rumble”, isso porque, com sua recuperação de peso feita em duas etapas – antes e depois do meio-dia de sábado -, somado ao elevado peso em sua estreia na categoria, deve diminuir sua resistência física e, consequentemente, o gás.

Fonte: R7, www.r7.com