R10 e Figueroa se reencontram sem o mesmo glamour de antes

Atacante do Emelec era titular da Argentina na Copa das Confederações de 2005

Ano de 2005, final da Copa das Confederações entre Brasil e Argentina, na Alemanha. De um lado, Ronaldinho Gaúcho vivendo o auge da sua carreira. No mesmo ano ele receberia, pela segunda vez seguida, o prêmio de melhor jogador do mundo da Fifa. Do outro, Figueroa, artilheiro dos hermanos na competição, com quatro gols, buscando se firmar no cenário mundial. O Brasil foi campeão após atuação impecável na vitória por 4 a 1. Ronaldinho deixou a sua marca enquanto Figueroa passou em branco. Na próxima quinta, a dupla se reencontra no Engenhão. O brasileiro veste a 10 do Flamengo enquanto o argentino usa a 19 do Emelec. Mas definitivamente a carreira de ambos sofreu com reviravoltas.


R10 e Figueroa se reencontram sem o mesmo glamour de antes

Ronaldinho hoje está longe de ser a unanimidade que era em 2005. O apoiador voltou ao futebol brasileiro mas, fora um ou outro lampejo, não encanta mais os fãs de futebol como fazia. Fora de campo ainda costuma acumular polêmicas. Principal nome do elenco rubro-negro, até o momento segue abaixo da expectativa que gerou quando o clube acertou a sua contratação.

Figueroa é outro que luta para reencontrar o espaço no futebol. Após a bela Copa das Confederações, deixou o Villarreal, da Espanha, para jogar no River Plate e carimbar sua vaga na Copa do Mundo de 2006. No entanto, sofreu uma ruptura do ligamento cruzado do joelho que o tirou da competição. Quando estava para voltar a jogar, sofreu nova ruptura. No total ficou um ano e meio afastado dos gramados. Desde então, passou por Genoa, Boca Juniors e Rosario Central. Em todos não conseguiu o brilho de outros tempos. E agora luta no Emelec para voltar a brilhar. Com objetivos claros na cabeça, procura esquecer o passado.

- Foi uma fase complicada. Fiquei um ano e meio afastado. Tive uma lesão grave nos ligamentos do joelho e quando estava para voltar eles romperam novamente. Mas não penso mais nisso. Agora é mirar o que vem pela frente - afirmou.

Sobre Ronaldinho Gaúcho e sua queda de desempenho, Figueroa preferiu não comentar. O atacante disse que não sabe da rotina do rubro-negro fora dos gramados e de como ele comanda a sua vida. Mas, dentro de campo, independentemente do tempo ter passado, ele considera Ronaldinho ainda um dos melhores do mundo.

- Ele merece cuidado especial sempre. Para mim é o mesmo craque que enfrentei em 2005. Em qualquer momento pode fazer a diferença. Não sei como é a vida dele, mas tecnicamente é um craque que precisamos respeitar - finalizou.

Na noite desta quarta-feira, o Emelec fará o reconhecimento no gramado do Engenhão, palco da partida, às 19h30m (de Brasília). O confronto contra o Flamengo acontece nesta quinta-feira, também às 19h30m (de Brasília).

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com