Real teme ser a próxima vítima de Messi

Derrota em Madri no clássico de sábado pode significar a demissão do técnico Manuel Pellegrini

"Como paramos esse cara?", foi a manchete do Marca depois de o atacante argentino marcar os quatro gols na vitória do Barça sobre o time inglês, que levou os catalães à semifinal do torneio europeu. "Messi é que nos assusta", disse o As.

Messi, 22 anos, atual detentor do título de melhor jogador do mundo, é o artilheiro do Campeonato Espanhol, com 26 gols, 2 à frente do seu compatriota Gonzalo Higuaín, do Real. Algumas das melhores defesas do planeta já fracassaram na missão de anulá-lo nesta temporada.

"É preciso tirar o chapéu para ele, porque é um jogador que faz a diferença", disse o zagueiro Sergio Ramos, do Real e da seleção espanhola, no site do seu clube (www.realmadrid.com). "Nossas armas serão permanecer focados e demonstrar o máximo respeito possível pelo Barcelona."

Faltando oito rodadas para o fim do campeonato, o Real lidera a classificação no saldo de gols, mas o confronto direto é um critério de desempate mais importante. No primeiro turno, o Barça venceu por 1 a 0 jogando em casa.

Uma derrota em Madri pode significar a demissão do treinador Manuel Pellegrini, trazido do Villareal depois de a diretoria do Real gastar mais de 300 milhões de dólares na contratação de jogadores como Cristiano Ronaldo e Kaká.

Sob o comando do chileno, o Real foi eliminado antes das quartas-de-final na Liga dos Campeões, pela sexta vez consecutiva, e sofreu uma constrangedora eliminação frente ao Alcorcón, da terceira divisão, pela Copa do Rei.

Segundo o As, Álvaro Arbeloa será o encarregado de marcar Messi no sábado, algo que já fez com eficácia na época em que jogava pelo Liverpool e pelo Deportivo La Coruña.

"Por que Arbeloa? Porque ele já o marcou em quatro jogos anteriores, e com sucesso", escreveu o jornal na terça-feira. "Ele tem o método necessário, o foco, a aceleração e a velocidade."

Já Alfredo Relano, colunista do Marca, questionou se seria possível parar Messi na sua atual fase, e fez uma alusão maldosa ao fato de que o atacante não costuma render tão bem na seleção argentina.

"Só sei um jeito (de contê-lo), que é nomear Diego Maradona como técnico do Barcelona. Mas isso não é possível de agora até sábado, então todos concordamos que o clássico está em grande medida nas mãos de Messi."

Fonte: Estadão