Record sai da disputa pela transmissão do Brasileirão

Emissora alega "incerteza jurídica" após dissidência na entidade

A Rede Record desistiu de participar da concorrência criada pelo Clube dos 13 para venda dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro de 2012 até 2014.

O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (11), pouco antes de sair o resultado da licitação para a TV aberta. A emissora diz que tomou a decisão movida pelo cenário de incerteza provocado pela dissidência entre os clubes.

Há duas semanas, o Corinthians e os quatro grandes cariocas disseram que não se sentiam representados na negociação do Clube dos 13 e que pretendiam negociar a venda de seus jogos separadamente - o time paulista, inclusive, anunciou sua saída do Clube dos 13.

Nos últimos dias, o número de dissidentes aumentou, o que motivou a emissora a desistir da negociação por temer que ela não tenha valor legal sem o aval dos clubes.

Veja abaixo a íntegra do comunicado:

"A Rede Record vem a público informar que apoiava o modelo de negociação dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro no triênio 2012/2014 proposto pelo Clube dos 13 em acordo com o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

Mas, infelizmente, a concorrência dividiu o C13. A entidade ficou fracionada em clubes que defendiam o processo iniciado com a carta convite, agremiações que pretendiam negociar os direitos em separado e aqueles que vieram a público pedir a total desvinculação do processo e do agrupamento.

Alguns clubes, antes de ouvir qualquer proposta por parte da Record, já indicam que têm acordos pré-acertados com outra emissora. Os responsáveis por estes acordos que prejudicam os torcedores, clubes e patrocinadores devem vir a público para revelar como foram as negociações e qual o valor acertado previamente, sem concorrência, sem transparência e baseados nos mesmos princípios que ajudaram a reduzir o poder dos clubes, prejudicaram o faturamento das agremiações, limitaram a exposição de patrocinadores e impuseram horários estranhos para a prática do futebol, além de transformar o mais popular esporte do País num mero exportador de talentos. Diante desta atitude a Record informa que não aceita participar de um jogo com cartas marcadas.

O quadro, neste momento, gerou incerteza jurídica. Diante disso, não há convicção de que a proposta vencedora tenha os direitos de transmissão dos jogos de todos os clubes. Há ainda a possibilidade de que uma agremiação possa abandonar o C13 enquanto o contrato ainda estiver em vigor. Assim, a Record decidiu não apresentar proposta ao Clube dos 13.

A emissora volta a manifestar seu desejo de participar da concorrência democrática, caso os clubes entrem em acordo, garantindo estabilidade jurídica a quem apresentar a melhor proposta. E, se os clubes desejarem seguir numa negociação em separado, a Record reafirma que pretende apresentar propostas com padrões de transparência e regras claras.

Mais uma vez, esta é a forma que a Record encontra para contribuir com a evolução e o desenvolvimento do futebol brasileiro, proporcionando uma transmissão de primeira do esporte preferido da nação.

Fonte: R7, www.r7.com