"Rei do voleio", Bebeto elogia Fred e diz: "Não precisava ser contra o Fla"

Tetracampeão do mundo afirma que é preciso ter o dom para executar a jogada.

Fred tem se mostrado um especialista em gols de voleio. Contra o Flamengo, o camisa 9 fechou um ciclo particular. Agora ele já marcou deste jeito contra todos os rivais cariocas do Fluminense. E o estilo peculiar mostrado pelo tricolor lembra outro grande nome do futebol brasileiro: Bebeto.



O ex-atacante, tetracampeão do mundo com a seleção brasileira em 1994, tinha o voleio como uma de suas marcas registradas. Fez alguns gols dessa maneira. Em 1989, pela Copa América, marcou contra a Argentina depois de uma ajeitada de Romário (veja o vídeo abaixo). Outro memorável gol no mesmo estilo também veio com a camisa da Seleção, no jogo que se tornou famoso pelo aviãozinho de Zagallo na vitória sobre a África do Sul em amistoso de 1996 (veja o terceiro vídeo). Torcedor do Flamengo, clube em que joga seu filho Mattheus, Bebeto ressaltou a dificuldade do lance, apontou diferenças em relação ao que ele fazia e comentou que preferia ver Fred marcando golaços apenas contra os demais rivais.

- Não precisava ser logo contra o meu Flamengo (risos). Mas o Fred é um grande jogador, sem sombra de dúvida, e tem facilidade para fazer gols. Ele pegou muito bem na bola, foi um gol plástico. Quando eu ainda era jogador, costumava bater na bola quando ela vinha mais alta e batia com força para ela ir reto. Já o lance dele foi um pouco diferente, porque a bola saiu mais baixa e até quicou antes de entrar. São jogadas diferentes, mas precisas da mesma maneira. Fazer gol de voleio requer muito treino, mas é preciso ter o dom para executar bem essa jogada, que é dificílima - explicou.

Mas estas não são as únicas marcas de Fred. O camisa 9, que até este Campeonato Brasileiro nunca havia marcado contra o Flamengo, decidiu mais um clássico e fez o gol de número 100 do Fluminense em duelos contra o rival válidos pelo Campeonato Brasileiro. O artilheiro revelou estar aliviado com o peso que tirou e agora projeta novas escritas pela frente.

- Fico muito feliz pelas marcas e por continuar contribuindo efetivamente com a equipe durante todo o campeonato. Me cobravam muito pelo fato de eu nunca ter feito gols no Flamengo, e eu mesmo me cobrava muito, mas graças a Deus eles vieram e em um momento mais que especial, que é o centenário do clássico mais importante do país. Fico lisonjeado pelos feitos deste ano, não apenas no âmbito individual, mas principalmente na parte coletiva, pois nosso time está conseguindo passar pelos desafios que estão surgindo e demonstrando muita dedicação para superar as dificuldades que encontramos pelo caminho - afirmou.

Fred agora vai reencontrar o clube que é sua maior vítima: já marcou nove gols em 11 jogos contra o Botafogo, incluindo um de voleio e um de bicicleta. Ele espera que o time mantenha o ritmo e alerta que não pode relaxar por ter construído uma vantagem de seis pontos sobre o Atlético-MG, que continua na vice-liderança, com 53 pontos.

- Temos demonstrado uma regularidade muito boa, e a intenção é continuar assim. Não adianta nada termos nos distanciado do Atlético-MG e do Grêmio e relaxar com a vantagem. Precisamos manter os pés no chão, trabalhar forte todo dia para seguirmos pontuando sempre e, se possível, abrir ainda mais vantagem para os nossos concorrentes diretos. Por enquanto, ainda temos apenas seis pontos de frente com 33 por disputar. É uma boa gordura, mas ainda é pouco para quem quer levantar a taça no fim do ano. Precisamos de muito mais, pois a caminhada é longa até dezembro - finalizou.

Após a folga na segunda-feira, os jogadores do Fluminense se reapresentam na tarde desta terça-feira, às 15h30m (de Brasília), nas Laranjeiras. O clássico contra o Botafogo será no próximo sábado, às 18h30m (de Brasília), no Engenhão.

Fonte: GloboEsporte