Relação de Ronaldinho e torcida do Fla tem 1º desgaste

As vaias que Ronaldinho recebeu soaram como um pedido para que o camisa 10 se dedique mais dentro e fora de campo

A lua de mel entre a torcida do Flamengo e Ronaldinho começou antes do casamento, mas a relação deu o primeiro sinal de desgaste. No empate com o Horizonte, nesta quarta-feira, o time tinha uma falta para cobrar na intermediária. Das arquibancadas, veio o pedido por Renato. No entanto, foi o camisa 10 que executou a cobrança, e a bola parou na barreira. Imediatamente, o astro, antes apenas bajulado, recebeu a sua primeira vaia desde que chegou à Gávea. O meia Renato, porém, acredita que o amor vai continuar.

"Todo jogador já passou por isso. Ele chegou em lua de mel e acho que vai continuar assim. Isso é normal. Eu também fui vaiado ano passado quando cheguei, o Léo Moura já foi vaiado... Pode acontecer com qualquer um", disse Renato, para quem a crítica à cobrança de falta do Ronaldinho é injusta.

"Nem todas as faltas vão ser gol. O Ronaldinho bateu, e a bola pegou na barreira. Acontece. Ele nos deu um título com gol de falta, sabe bater, vai bem nos treinos", afirmou.

As vaias que Ronaldinho recebeu soaram como um pedido para que o camisa 10 se dedique mais dentro e fora de campo. Tudo para, enfim, satisfazer aquela que, desde dezembro, não para de demonstrar seu carinho por ele: a torcida rubro-negra.

Um relacionamento estremecido costuma levar tempo para voltar à harmonia. No futebol, no entanto, a discussão da relação, em vez de se dar entre paredes, acontece dentro das quatro linhas. E o desgaste pode ser revertido em paixão com apenas um gesto, como um gol decisivo no Fla-Flu deste domingo, no Engenhão. A semifinal da Taça Rio será o próximo encontro.

"O futebol é bom porque em pouco tempo, no próximo jogo, ele (Ronaldinho) pode reverter isso. O Flamengo tem uma prova importante pela frente. Temos que esquecer o que passou e pensar somente no Fla-Flu", afirmou o camisa 11 rubro-negro.

O time treina pela manhã, no Ninho do Urubu, e será liberado para passar a Sexta-Feira Santa com a família. À noite, todos se reapresentam para a concentração. Uma derrota para o Fluminense, no domingo de Páscoa, será mais do que indigesta. "É a hora de crescer. Temos a semifinal e quarta-feira vamos tentar a vaga na Copa do Brasil", destacou Renato.



Fonte: Terra, www.terra.com.br