Renault acusa e processo Nelsinho

A Renault e seu chefe de escuderia, Flavio Briatore, pessoalmente, gostariam de anunciar que iniciaram na França um processo criminal contra Nelsinho

Acusada de ter orientado Nelsinho Piquet a provocar um acidente no GP da Cingapura de F-1 do ano passado para favorecer Fernando Alonso, a equipe Renault decidiu processar o piloto brasileiro e seu pai, Nelson Piquet, por falsas denúncias e tentativa de chantagem.

"A Renault e seu chefe de escuderia, Flavio Briatore, pessoalmente, gostariam de anunciar que iniciaram na França um processo criminal contra Nelsinho e Nelson Piquet", diz um comunicado emitido pela escuderia.

Em depoimento à FIA (Federação Internacional de Automobilismo), Nelsinho havia dito que causou a batida a pedido de Briatore e do engenheiro chefe do time, Pat Symonds, para forçar a entrada do safety car e, assim, favorecer Alonso, que realizou um pit stop pouco antes do acidente.

A entrada do carro de segurança naquele momento acabou permitindo a Alonso assumir a liderança da prova e conquistar uma surpreendente vitória.

Segundo o depoimento, Nelsinho foi orientado por Symonds bater entre as voltas 13 e 14 da prova, na curva 17, um local que obrigaria a entrada do safety car na pista.

O piloto brasileiro disse que aceitou a proposta feita pela alta cúpula da Renault por estar "em um estado mental e emocional muito frágil". Ele não tinha garantias de que seu contrato seria renovado para 2009 e se dizia pressionado por Briatore, que também era seu empresário.

Nesta sexta-feira, o site da revista inglesa "Autosport" publicou trechos de uma suposta carta enviada por Briatore a Nelson Piquet em julho. No documento, o chefe da escuderia francesa nega a armação e acusa o ex-piloto de estar tentando chantageá-lo para manter Nelsinho como piloto titular da Renault.

"Estou indignado que você possa pensar que eu, sem mencionar seu filho e os outros integrantes da equipe Renault, possa ter sido parte de uma estratégia que poderia constituir um crime. Sou forçado a considerar que essa ameaça é, sem dúvida, uma tentativa de chantagem contra a Renault e a mim para conseguir uma vantagem ilegítima por meio de ameaças e mentiras ultrajantes."

A relação entre o piloto e o chefe da escuderia se deteriorou de vez na atual temporada. Após trocas públicas de farpas, o brasileiro foi dispensado da Renault. Segundo a revista "Autosport", a suposta armação no GP da Cingapura foi denunciada pelo pai de Nelsinho, o tricampeão mundial Nelson Piquet, que ficou indignado com a demissão do seu filho.

A FIA já convocou uma reunião extraordinária do Conselho Mundial, no próximo dia 21, para julgar o caso, que pode se transformar num dos maiores escândalos da história da F-1.

Mais que isso, pode fazer com que a Renault deixe a categoria. Insatisfeita com os resultados dos últimos anos, a montadora já vem há algum tempo cogitando a hipótese de sair.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com