Revelação de 19 anos admite que treina para virar clone de Ganso

"Tenho aprendido com o Muricy a controlar o jogo, fazer essa parte que ele (Ganso) fazia", diz meia, candidato a ficar com a vaga do camisa 10


Revelação de 19 anos admite que treina para  virar clone de Ganso

Quem será o substituto de Paulo Henrique Ganso no Santos? A diretoria sonha com o retorno de Diego para 2013, mas, até lá, Muricy Ramalho se vira com o que tem no elenco. O técnico declarou várias vezes que não possui um armador com as características de Ganso. Quem já vinha atuando com a 10 é Felipe Anderson.

O meia, de 19 anos, admite que tem características bem diferentes ? é mais um carregador de bola, que aposta na velocidade para superar os marcadores e chegar à área adversária. Ele afirma, porém, que está preparado para assumir de vez a camisa 10 e conta que tem trabalhado para aprender a jogar mais centralizado.

? Com a saída do Ganso, abre uma vaga ali, que é a da camisa 10. Creio que estou preparado. Vou cada vez chegar mais cedo e treinar, treinar e treinar. Minha intenção é retribuir o que eu sei que aprendi com ele (Muricy) ? diz Felipe Anderson.

? O Ganso é um maestro, faz o time jogar, sabe acelerar, enfiar a bola. Ele é mais de cadenciar o jogo, tem um pouco menos de velocidade. Eu sou mais rápido, mais veloz, vou mais ao fundo. Mas tenho aprendido com o professor (Muricy) a controlar o jogo, fazer essa parte que ele (Ganso) fazia, entrar por trás e colocar a bola para os atacantes ? emenda o jovem santista.

No Brasileirão, Felipe Anderson tem alternado atuações boas com outras péssimas. Em vários jogos, foi vaiado pelo torcedor na Vila Belmiro.

? É um momento muito triste quando recebo a vaia. Mas a gente sabe que o futebol é assim. Tem pessoas maravilhosas comigo, que me dão muita força e não me deixam ficar de cabeça quente. Hoje o Neymar é o que é. Tenho que seguir o exemplo ? diz Felipe Anderson, lembrando que o craque do moicano, em começo de carreira, também foi vaiado em alguns jogos.

O meia conta que criou o hábito de rever na TV suas atuações. Ele já identificou alguns de seus pontos falhos.

? Eu vi que às vezes fico muito tempo sem pegar na bola. Às vezes eu pego, faço três jogadas boas e acabo errando uma. A palavra-chave é regularidade. É o que o Muricy mais pede para mim ? diz.

Fonte: GloboEsporte.com